Estratégia contra a pobreza é "oportunidade histórica"

Estratégia contra a pobreza é "oportunidade histórica"

 

Lusa/AO Online   Regional   11 de Dez de 2017, 13:06

O Governo dos Açores apresentou hoje o que pretende ser uma estratégia regional de combate à pobreza e exclusão até 2028, num plano que, advoga Vasco Cordeiro, é uma "oportunidade histórica" para a região "não deixar ninguém para trás".


"Desejo que este processo de auscultação e desafio possa alcançar um objetivo muito simples: que esta deixe de ser uma estratégia do Governo para ser a estratégia da Região", sustentou o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, na apresentação pública da proposta de "Estratégia regional e combate à pobreza e exclusão social 2018-2028".

A proposta, assinalou o governante, representa uma "oportunidade histórica" de pegar num "assunto verdadeiramente estrutural para o futuro dos Açores" e "não deixar ninguém para trás".

"Com a consolidação dos sinais de crescimento económico e a diminuição acentuadíssima do desemprego, este é o momento de não deixar ninguém para trás", prosseguiu Vasco Cordeiro, falando na Escola Básica Integrada Roberto Ivens, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

A estratégia hoje apresentada, e que segue para consulta pública onde se espera "o contributo de todos", não pretende ser, insistiu o presidente do executivo açoriano, "uma compilação de apoios sociais, um somatório de medidas", antes integrando o "objetivo amplo e ambicioso" de abarcar toda a região, concelhos, freguesias e associações.

"Isto não é um 'sprint', é uma maratona. Esta é uma aposta de longo prazo", declarou também Vasco Cordeiro.

A estratégia hoje apresentada, e com vários elementos do executivo açoriano na audiência, além de autarcas locais, divide-se em quatro prioridades estratégicas: assegurar um "processo de desenvolvimento integral e inclusivo" às crianças e jovens; reforçar a coesão social na região; promover uma intervenção territorializada; e garantir o conhecimento adequado sobre o fenómeno da pobreza na região.

A proposta hoje apresentada lembra que a pobreza, "em toda a sua multidimensionalidade, persiste como um problema estrutural" dos Açores, condicionando o desenvolvimento da Região.

Uma "ação concertada" entre políticos e sociedade civil é pedida no documento, estando assegurados planos de ação bianuais, com o primeiro a vigorar no biénio 2018-2019.

"Destes planos constará um conjunto de medidas, ações, metas a atingir e respetivos concursos a afetar", é referido.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.