Estado tem "dívida indecente" aos advogados que prestam apoio judiciário


 

Lusa/AO online   Regional   18 de Nov de 2011, 20:24

A coordenadora regional do BE/Açores, Zuraida Soares, denunciou publicamente a “dívida indecente” do Estado aos advogados que prestam apoio judiciário nos Açores, que, segundo a responsável, atinge um valor global de um milhão de euros.
“É uma dívida a cerca de meia centena de advogados que prestam apoio judiciário, a maioria dos quais são jovens ainda em início de carreira, sem nome no mercado e sem escritório”, afirmou Zuraida Soares, frisando que “algumas destas dívidas remontam a 2008”.

A líder do BE/Açores falava à Lusa no final de uma reunião com os responsáveis regionais da Ordem dos Advogados, na qual foram analisados os principais problemas que se colocam a esta classe profissional no arquipélago.

“Chegamos à conclusão de que os problemas dos advogados na região não são muito diferentes dos problemas dos advogados no resto do país”, frisou, destacando a “situação indigna” que resulta das dívidas relacionadas com o apoio judiciário.

Para Zuraida Soares, esta situação coloca problemas ao nível profissional, já que “um advogado que não recebe não pode ser um profissional motivado”.

Os atrasos nas sentenças que se verificam em algumas comarcas dos Açores foi também referido pela coordenadora regional do BE/Açores, salientando que existem casos em que “as pessoas aguardam há sete anos pela sentença”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.