Escolha entre luta contra alterações climáticas e crescimento é falsa


 

Lusa/AO online   Internacional   23 de Set de 2014, 12:41

O secretário do Tesouro dos EUA, Jacob Lew, recusou na segunda-feira a ideia de que se tenha de fazer uma escolha entre a luta contra o aquecimento climático e o fomento do crescimento económico.

 

“Alguns veem o combate contra as alterações climáticas como uma escolha entre investir no futuro e fazer crescer a nossa economia a médio prazo, mas é uma falsa escolha”, declarou Lew, durante um discurso pronunciado na véspera de uma cimeira sobre as alterações climáticas na Organização das Nações Unidas (ONU).

Segundo o secretário do Tesouro, os investimentos “judiciosos” para contrariar o aquecimento climático permitiriam aos EUA “criar dezenas de milhares de postos de trabalho” e posicionar-se como “um líder” nas tecnologias do futuro.

Dirigindo-se aos céticos norte-americanos das alterações climáticas, Lew destacou “o custo da inação” para os EUA, cujas infraestruturas, como aeroportos, estradas ou centrais elétricas, não estão concedidas para enfrentar as atuais “condições climáticas extremas”.

Mencionando recentes catástrofes ocorridas nos EUA, como os furacões Sandy e Katrina ou a seca na Califórnia, e o impacto do clima na saúde ou na agricultura, Lew lembrou que o seu custo era, no final, pago “pelo contribuinte” e agravava as finanças públicas.

“Se o fardo orçamental continua a aumentar, vai criar pressões orçamentais que conduzirão a escolhas difíceis, a défices maiores e a impostos mais elevados”, preveniu Lew, incentivando os EUA “a mudar a maneira” como produzem energia, desenvolvendo as renováveis.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.