EURO2012

Erro de Eduardo faz ruir selecção portuguesa em Oslo

Erro de Eduardo faz ruir selecção portuguesa em Oslo

 

Lusa/AO online   Futebol   7 de Set de 2010, 20:48

A selecção portuguesa de futebol complicou as suas hipóteses de apuramento para o Europeu de futebol, ao perder em Oslo com a Noruega por 1-0, em encontro do Grupo H da fase de apuramento
Um erro inexplicável do guarda-redes Eduardo fez hoje ruir a selecção portuguesa de futebol ante a Noruega,em Oslo, e a derrota por 1-0 coloca Portugal em graves dificuldades no apuramento para o Europeu de 2012.

Depois do empate com o Chipre em Guimarães (4-4), a equipa portuguesa voltou a sentir na Noruega a desorganização reinante por todo o lado e a falha de Eduardo pode até ser entendida por esse prisma, já que os jogadores, sem Carlos Queiroz como voz de comando, sentem dificuldade em praticar futebol da melhor forma que sabem.

Portugal, que em oito jogos com a Noruega somava seis vitórias e dois empates, caiu perante este país pela primeira vez e fica agora totalmente dependente para chegar ao quinto Europeu consecutivo.

Carlos Queiroz, suspenso, voltou a assistir da bancada ao jogo e Agostinho Oliveira, no banco, demorou a mexer na equipa (fez duas substituições), promovendo a primeira alteração aos 72 minutos (Danny por Tiago) e a segunda aos 83 (Liedson por Quaresma).

Na estreia de Sílvio como internacional AA, Portugal até começou bem o jogo, com Raul Meireles a rematar de forma disparatada e por cima, logo aos cinco minutos, na sequência de um passe de Tiago e quando estava completamente liberto dentro da área.

Os noruegueses, que sempre que tinham oportunidade de lançar bolas altas para a área colocavam os portugueses em sentido, não sentiram este aparente ascendente luso e nem dois remates de Quaresma, aos nove e 10 minutos, os conseguiu intimidar.

O golo de Erik Huseklepp, aos 21 minutos, surgiu quando Ricardo Carvalho atrasou uma bola para Eduardo e este, com todo o tempo do Mundo para a soltar, decidiu inventar e permitir que Carew se intrometesse. A bola sobrou para os pés de Huseklepp, que teve somente de a enviar para o fundo das redes.

Miguel Veloso, no “onze” e na posição ultimamente ocupada por Fábio Coentrão, tornou-se então mais autónomo nas saídas para o ataque e até serviu Manuel Fernandes, aos 28 minutos, para um remate deste às malhas laterais.

Obrigado a mexer por duas vezes até ao intervalo, o seleccionador norueguês, Egil Olsen, “tapou” bem as intenções de Tiago, Manuel Fernandes e Raul Meireles a meio campo e obrigou os seus jogadores a redobrados esforços, que impediram quase sempre as ações individuais dos portugueses.

A Noruega, que tinha vencido 2-1 a Islândia na sexta-feira, na primeira jornada do grupo, entrou para o segundo tempo com a intenção de dar a estocada final e Huseklepp e Mohammed Abdellaoue, aos 46 e 51 minutos, atiraram ligeiramente ao lado, já depois de Portugal ter andado a cheirar o golo.

Aos 60 minutos, Hugo Almeida ainda festejou golo, mas a equipa de arbitragem assinalou e bem posição irregular do avançado português e, aos 64, Nani atirou à figura, no melhor momento da equipa liderada por Agostinho Oliveira.

Agostinho Oliveira decidiu, então e finalmente, “mexer” aos 72 minutos e colocou Danny no lugar de Tiago, tentanto alargar a frente de ataque, mas desfalcando o meio campo defensivo.

Até ao final, Portugal, já com Liedson, nunca conseguiu atingir qualidade suficiente para o empate, com os noruegueses, de fibra, a procurarem o segundo, mas, melhor, a saberem como segurar o triunfo que os coloca na liderança do grupo H, com seis pontos. Portugal soma um, do empate em casa com o Chipre.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.