Equipa do Pico participa na iniciativa "É preciso ter lata!"


 

Lusa/AO online   Nacional   29 de Mar de 2016, 17:33

Cerca de 110 mil latas estão a servir de "alicerces" a esculturas idealizadas por meio milhar de crianças e jovens, entre eles uma equipa da ilha do Pico, que numa exposição que decorre até sexta-feira em Gondomar pretendem passar mensagens ligadas à luta contra a fome.

A iniciativa chama-se "É preciso ter lata!" e é organizada pela Associação Canstruction Portugal que, pelo quarto ano consecutivo e conforme explicou à agência Lusa o seu presidente, Dénis Conceição, procura "envolver os mais novos na reflexão sobre a fome e a pobreza".

Na prática, trata-se de um concurso criativo anual interescolas mas com "um caráter solidário e educativo", uma vez que após quatro dias - um de maratona de construção e três de visita à exposição - as latas serão doadas a cerca de uma centena de instituições de solidariedade e projetos comunitários de todo o país identificados exatamente pelas equipas participantes.

A iniciativa está a decorrer no pavilhão multiúsos de Gondomar, distrito do Porto, local onde latas de atum, milho, feijão, sardinhas, salsichas, fruta, tomate ou ervilhas estão a ser transformadas em carros de Fórmula 1, balões de ar quente ou fachadas de monumentos.

"Algumas escolas preferem aproveitar os rótulos para fazer murais com jogos de cor ou preferem escrever mensagens sobre o tema da iniciativa, a luta contra a fome. É muito interessante ver como interpretam o regulamento e surge muita diversidade", contou Dénis Conceição, responsável pela vinda para Portugal de uma ideia que surgiu nos EUA nos anos 80.

Na edição deste ano inscreveram-se no "É preciso ter lata!" 36 equipas de todo o país, incluindo uma que veio de propósito do Pico e todas trouxeram na bagagem as latas que angariaram nas suas cidades, junto das suas famílias e comunidades escolares.

O número de inscritos superou as expectativas da organização que estimava a presença de três dezenas de equipas, de forma a superar as 29 que se fizeram representar na edição do ano passado em Braga, na qual foram angariadas 26 toneladas de alimentos.

Aliás a "É preciso ter lata! 2016" poderá mesmo entrar para a história, tendo em conta que no ano passado, com menos equipas, a organização alcançou o 12.º lugar na lista oficial de eventos 2014/15 da Canstruction Internacional (organização norte-americana sem fins lucrativos), entre mais de 150 concursos realizados em todo o mundo.

Esta classificação tem em conta as toneladas de alimentos angariados em cada edição Canstruction.

No total das três edições anteriores, sendo que as primeiras duas realizaram-se em Oliveira de Azeméis, foram construídas 63 esculturas e angariadas cerca de 37 toneladas de alimentos.

Sobre a edição que teve início hoje, Dénis Conceição destacou as parcerias como a da marca Bom Petisco que decidiu fazer duas esculturas extraconcurso: uma da autoria de Miguel Neiva, criador do código de cores universal para daltónicos ColorAdd, com 25.000 latas, e outra da responsabilidade de uma equipa do Instituto Duarte de Lemos, de Águeda, com 18.000 latas.

Também participam este ano com esculturas extraconcurso três Agrupamentos de Escuteiros (Mesão Frio de Guimarães, Trofa do Vouga de Segadães e Águeda) e a Escola Superior de Enfermagem do Porto.

Já o público é desafiado a visitar a exposição para votar na sua escultura preferida mas também para poder contribuir com latas de comida que serão entregues à associação Acreditar.

"Uma causa contra a fome. Um desafio à criatividade" - é o lema inscrito nos cartazes sobre o evento que estará aberto ao público das 16:30 às 22:00 de quarta-feira e das 10:00 às 22:00 de quinta e sexta-feira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.