Entrada paga não afastou os banhistas na Caldeira Velha

Entrada paga não afastou os banhistas na Caldeira Velha

 

Lusa/AO Online   Regional   18 de Ago de 2014, 10:46

O acesso à Caldeira Velha, nos Açores, cuja entrada começou a ser paga em setembro de 2013, tem registado uma afluência "muito positiva" de 500 a 700 pessoas por dia, revelou o autarca da Ribeira Grande.

 

“A afluência tem sido muito positiva (…). Estamos a ter uma média entre 500 a 700 pessoas por dia, número que aumenta consideravelmente ao fim de semana”, afirmou Alexandre Gaudêncio em declarações à agência Lusa, assegurando que a proteção ambiental do local está devidamente salvaguardada e que o pico da procura é registado no verão.

A Caldeira Velha, localizada no concelho da Ribeira Grande, na ilha de S. Miguel, está classificada como monumento natural e regional, sendo conhecida como local de banhos em águas termais quentes, pela botânica e faunas típicas das florestas da Laurissilva, dada a grande diversidade de espécies que ali se encontram.

O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande adiantou que a entrada individual custa dois euros, mas “há descontos para famílias” e, apesar do acesso ao local ser pago há quase um ano, “não há reclamações”.

“A reação tem sido muito positiva”, havendo a preocupação de manter o espaço limpo, disse o autarca social-democrata.

A decisão de começar a cobrar a entrada na Caldeira Velha foi tomada pelo anterior executivo camarário socialista, dado que o espaço “não estava a ser devidamente respeitado”.

“A Caldeira Velha não é uma zona balnear, mas sim uma zona ambiental com uma diversidade de situações”, disse Ricardo Silva, anterior presidente da Câmara, em declarações à Lusa em fevereiro de 2013.

Junto à Caldeira Velha foi instalado um centro interpretativo, propriedade do Governo dos Açores, mas com gestão municipal, para explicar aos visitantes o que ali podem contemplar e usufruir.

Durante o verão o horário de acesso permitido ao local é entre as 09:00 e as 21:00.

O atual autarca da Ribeira Grande referiu, ainda, que além dos locais, são as próprias agências de viagem que colaboram com o município na promoção da Caldeira Velha, trazendo banhistas de várias nacionalidades.

Também na ilha de S. Miguel, nas Furnas, há três anos que o acesso à poça da D. Beija, uma espécie de 'spa' ao ar livre, tem entradas pagas, o que contribuiu para preservar e dignificar a utilização do local.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.