Ensino deve ter a capacidade de formar pessoas para inovar


 

Lusa/AO online   Nacional   8 de Nov de 2017, 16:06

A Diretora-Geral da Unesco para a Educação defendeu hoje que o ensino não deve ser mudado para se adaptar de acordo com os contextos que vigoram, mas ter a capacidade de formar pessoas que possam inovar e mudar o mundo.

Mmantsetsa Marope falava hoje num painel da Web Summit dedicado à aprendizagem dentro e fora da sala de aula, onde foi debatida a relação da educação formal com as inovações tecnológicas e com as novas profissões.

Para Marope, a educação é a chave para o sucesso e apesar de ter de se adaptar aos novos tempos não deve alterar a sua génese, mas sim capacitar as pessoas com ferramentas úteis para que sejam motores de mudança capazes de interagir, de trabalhar em equipa e de se adaptar.

Perante a pergunta da moderadora “Como é que a educação poderá ser importante no futuro” a responsável respondeu que a educação é eficiente e dá aos homens a agilidade necessária para se adaptar às mudanças cíclicas.

A educação, a formação, a tecnologia e o emprego são temas em foco na Web Summit, que decorre até quinta-feira, no Altice Arena (antigo Meo Arena) e na Feira Internacional de Lisboa (FIL), em Lisboa.

Segundo a organização, nesta segunda edição do evento em Portugal, participam 59.115 pessoas de 170 países, entre os quais mais de 1.200 oradores, duas mil 'startups', 1.400 investidores e 2.500 jornalistas.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa por três anos, com possibilidade de mais dois de permanência na capital portuguesa.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.