Empresário David Neeleman aposta no reforço de destinos para EUA e Brasil

Empresário David Neeleman aposta no reforço de destinos para EUA e Brasil

 

Lusa/AO Online   Economia   24 de Jun de 2015, 12:09

O empresário David Neeleman, um dos parceiros do consórcio Gateway, que esta quarta-feira assinou o contrato de compra de 61% do capital da TAP, afirmou que quer reforçar as ligações da companhia com os Estados Unidos e o Brasil.

 

O empresário, que falava na cerimónia de assinatura do contrato, no Ministério das Finanças, em Lisboa, afirmou que ambiciona criar mais dez destinos para os Estados Unidos da América (EUA) e oito a dez no Brasil e prometeu que vai “fazer tudo” para reforçar o capital da empresa, comprar mais aviões e “tratar bem as pessoas”, que considerou o principal ativo da TAP.

Salientou ainda que a TAP é uma empresa muito importante para Portugal e que, por isso, quando o Governo pediu 30 anos de compromisso para o ‘hub’ (centro de operações) permanecer em Portugal, respondeu: “Podemos dar 100 anos”.

A 11 de junho, o Governo aprovou a venda de 61% do capital social da TAP ao consórcio Gateway, do empresário norte-americano David Neeleman e do empresário português Humberto Pedrosa - um dos dois finalistas do processo de privatização da transportadora aérea portuguesa, sendo o candidato preterido Germán Efromovich.

O contrato com o agrupamento vencedor, que formalizou a compra, foi assinado hoje no Ministério das Finanças.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.