Empresa vai levar familiares dos passageiros à zona das buscas

Empresa vai levar familiares dos passageiros à zona das buscas

 

Lusa/AO Online   Internacional   30 de Dez de 2014, 05:22

A AirAsia Indonésia vai levar na quarta-feira os familiares dos passageiros do voo QZ8501, desaparecido desde domingo, à zona onde decorrem as buscas, informou esta terça-feira o diretor executivo da empresa.

 

Segundo Sunu Widyatmoko, que falava em conferência de imprensa no Aeroporto Internacional de Juanda, em Surabaia, os familiares acreditam que "a sua presença e as suas rezas irão ajudara a equipa de buscas a localizar" a aeronave.

O avião partirá de Surabaia, a uma hora ainda por definir, com familiares e alguns jornalistas, e regressará à maior cidade do leste da ilha indonésia de Java, de onde partiu o aparelho desaparecido, ainda no mesmo dia.

A viagem será feita em coordenação com a Agência Nacional de Busca e Resgate (Basarnas, na sigla indonésia), porque existem "dezenas de aviões a sobrevoar a zona" devido às buscas que decorrem desde domingo, disse o responsável máximo da AirAsia Indonésia.

Os familiares estão também interessados em "ver a localização" e "pediram mais informação", de acordo com Sunu Widyatmoko.

No local de apoio psicológico aos familiares dos passageiros foram hoje colocadas televisões ligadas ao centro de operações das buscas.

Na reunião desta manhã com as autoridades, houve uma comunicação em videoconferência com o responsável máximo da Basarnas, Bambang Sulistyo.

Na conferência de imprensa desta manhã, após dessa reunião, os responsáveis da empresa de aviação low-cost, do aeroporto e da Basarnas não facultaram informações adicionais sobre as buscas, mas referiram que dentro de três a quatro horas deverá ser feito um novo ponto da situação para as famílias.

No encontro desta manhã com as autoridades, houve rezas, mas apenas alguns jornalistas foram autorizados a entrar no local durante escassos minutos.

Uma das participantes do encontro saiu bastante comovida e acompanhada por um homem, mas não prestou declarações aos jornalistas.

Das janelas, foi possível ver, por exemplo, um grupo de familiares reunidos, enquanto um deles lia a Bíblia.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.