Empresa pública Atlânticoline quer otimizar operação nos Açores

Empresa pública Atlânticoline quer otimizar operação nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Nov de 2016, 14:08

O futuro presidente da Atlânticoline, empresa pública que efetua o transporte marítimo de passageiros e viaturas nos Açores, quer otimizar a operação sem colocar em causa o equilíbrio financeiro, considerando prioritária a construção de dois navios.

 

“A construção dos navios é uma prioridade para a Atlânticoline no âmbito da sua missão”, afirmou hoje aos jornalistas Carlos Faias, após ter sido ouvido na Comissão Permanente de Economia do parlamento açoriano, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, considerando que “é cada vez mais difícil fretar navios” para realizar a operação sazonal no arquipélago.

O antigo diretor regional da Habitação Carlos Faias foi o nome indicado pelo Governo dos Açores, a semana passada, para presidir à Atlânticoline, substituindo João Ponte, agora secretário Regional da Agricultura e Florestas.

Para Carlos Faias, se os Açores não tiverem navios próprios estará sempre sujeito a condicionalismos, como por exemplo “a disponibilização no mercado de navios para o transporte de passageiros e viaturas, e, caso não existam muitos, o valor do fretamento será maior”.

O futuro responsável da Atlânticoline defendeu que a construção de dois novos navios será “mais vantajosa em termos técnicos e económicos” para os Açores, acrescentando que os fundos comunitários devem cobrir 85% do investimento e a região o restante”.

Admitindo que não conhece bem os dossiês da empresa, pois ainda não tomou posse, Carlos Faias comprometeu-se a diligenciar “todos os esforços” para otimizar a operação e procurar disponibilizar os horários das viagens “com maior antecedência possível”.

Aos deputados, Carlos Faias, que foi durante oito anos diretor regional da Habitação, elencou sete desafios para a empresa, que passam pelo aumento da previsibilidade da operação marítima, otimização das fontes de receitas, reforço da comunicação e acordos comerciais ou valorização dos recursos humanos, através de mais formação profissional.

“Sinto-me capaz para este novo desafio e tenho competências na área de gestão e administração pública”, garantiu Carlos Faias.

Dentro de uma semana a Comissão Permanente de Economia, onde o PS tem maioria, deverá ter concluído o relatório desta audição e emitido o seu parecer quanto à escolha do Governo Regional, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro, para a presidência do conselho de administração da Atlânticoline.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.