Exploração de campos de golfe dos Açores com défice de 2,4 ME entre 2010 e 2013

Exploração de campos de golfe dos Açores com défice de 2,4 ME entre 2010 e 2013

 

LUSA/AO online   Regional   3 de Jul de 2015, 19:26

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TdC) à exploração dos campos de golfe dos Açores pela sociedade anónima Ilhas de Valor revela um défice de 2,4 milhões de euros entre 2010 e 2013.

De acordo com o documento do TdC, hoje divulgado na sua página na internet, os rendimentos de exploração anuais dos campos de golfe da Batalha e das Furnas, ambos na ilha de São Miguel, asseguram “pouco mais de metade dos gastos incorridos”, sendo “insuficientes” para a cobertura de despesas com o pessoal.

A Ilhas de Valor assumiu, em março de 2010, a gestão dos campos de golfe da Batalha e das Furnas, ambos pertencentes à Verdegolf, perante a iminência desta empresa encerrar a atividade e mandar os trabalhadores para o desemprego.

Segundo o relatório hoje divulhado pelo TdC, a dívida acumulada da sociedade anónima Verdegolf à empresa pública regional Ilhas de Valor era, no final de 2013, de cerca de 3,8 milhões de euros.

A auditoria do TdC revela que a Ilhas de Valor tem vindo a “adiar, sucessivamente” a cobrança dos valores em dívida pela Verdegolf, abdicando dos direitos contratualmente consagrados.

O TdC recomenda à Ilhas de Valor que regularize os créditos que detém sobre a Verdegolf.

O Tribunal de Contas revela ainda que entre 2010 e 2013, a atividade de exploração dos campos de golfe de São Miguel registou um impacto “pouco favorável” na situação financeira global da Ilhas de Valor, tendo o peso relativo dos rendimentos provenientes dessa atividade passado de 41%, em 2010 e 2011, para 9,7% e 16%, em 2012 e 2013, na sequência do “grande aumento” dos subsídios à exploração.

“Os gastos incorridos foram significativos, com um peso, no período, de 41%, 34%, 20% e 24%, salientando-se, ainda, que a maioria das dívidas a receber e a pagar proveio da exploração dos campos de golfe”, refere-se na auditoria.

No que concerne ao campo de golfe de Santa Maria, previsto pela Ilhas de Valor desde 2006, até 2012 foram despendidos cerca de 1,3 milhões de euros na execução de estudos, levantamentos, projetos e publicitação sem que a sua construção tenha tido lugar.

Sem o financiamento público obtido, o TdC considera que os resultados operacionais e os resultados líquidos da Ilha de Valor teriam sido negativos entre 2010 e 2013.

De acordo com os documentos apresentados pela Ilhas de Valor ao TdC, referentes ao período de 2006 a 2013, as principais fontes de financiamento para a cobertura dos seus planos anuais incidiram nos seus capitais próprios, totalmente públicos, em empréstimos bancários de médio e longo prazo e nas transferências da administração regional direta efetuadas ao abrigo de contratos-programa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.