Emigrante já deu bolsas a cerca de 100 alunos da Universidade dos Açores


 

Lusa/AO Online   Regional   14 de Nov de 2016, 17:33

Um emigrante português que aos 19 anos partiu de Pombal para os Estados Unidos da América vai voltar a apoiar financeiramente alunos da Universidade dos Açores, depois de já ter ajudado cerca de uma centena de estudantes.

 

“Nos Estados Unidos já existem muitas bolsas que são dadas. Eu achei que aqui era mais apropriado, porque as universidades do continente têm mais força e esta está mais dispersa e é mais pequena”, afirmou hoje Armindo Louro, que criou um sistema anual de bolsas de estudo em homenagem à mulher, médica já falecida.

Armindo Louro falava aos jornalistas após a assinatura de um protocolo com a Associação Centro Cultural da Caloura, na Lagoa, ilha de São Miguel, entidade que passa a gerir as bolsas de estudo “Dr.ª Conceição Araújo Oliveira Louro para estudantes do ensino superior”.

As bolsas, anteriormente geridas pela Universidade dos Açores, têm um valor de 25.000 dólares (cerca de 23 mil euros) por ano, destinando-se a alunos carenciados, com necessidades educativas especiais, que tiveram média superior a 17 valores, para apoiar despesas com transporte, alimentação ou material, e para voluntariado.

O anterior protocolo, com a universidade, vigorou formalmente naquela instituição em 2013 e 2014, tendo cessado em novembro de 2014.

“A ajuda é pequena, mas os resultados prosseguirão toda a vida”, referiu Armindo Louro, sublinhando que as bolsas pretendem perpetuar a memória da mulher.

Armindo Louro licenciou-se em Engenharia Civil na University of Massachusetts, em 1977. Posteriormente, e em conjunto com familiares, criou uma empresa de construção Civil, na cidade em Fall River.

Teresa Medeiros, presidente da assembleia do Centro Cultural da Caloura e docente na Universidade dos Açores, salientou a importância do apoio financeiro no contexto atual de crise económica, o que permite que os alunos “possam prosseguir os seus estudos".

"Quando detetei muitas dificuldades de alunos da Universidade dos Açores, o meu objetivo foi arranjar uma forma de ajudá-los através do engenheiro Armindo Louro e das bolsas ‘Conceição Araújo Louro’”, referiu aos jornalistas, destacando ser “realmente comovente ver que tantos alunos já foram apoiados e como estão reconhecidos por este apoio".

Segundo Teresa Medeiros, as bolsas vão ser geridas por um comité nomeado entre os membros da Associação Centro Cultural da Caloura, acrescentando que Armindo Louro foi constituído sócio honorário e “vai ter uma ação muito direta na gestão das bolsas".

"O meu objetivo é que o engenheiro Armindo possa ver na prática as condições que realmente ele deseja e que as bolsas sejam bem geridas, o processo seja transparente e que todas as pessoas possam estar nas mesmas condições de acesso", disse ainda a docente.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.