Elefante ataca e mata monge numa procissão budista do Sri Lanka


 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   12 de Jun de 2017, 17:15

Um elefante que integrava uma procissão budista do Sri Lanka atacou e matou um monge de 25 anos, comunicou a polícia.

Três elefantes estavam a caminhar na procissão no domingo à noite quando um deles saiu em alvoroço e atacou o monge, na vila costeira de Kochchikade, a 42 quilómetros a norte de Colombo, e o líder religioso morreu hoje num hospital, de acordo com a polícia.

Os elefantes, alugados pelos templos e pelas famílias ricas, participam habitualmente nas procissões religiosas do budismo e nos festivais.

No entanto, os ativistas dos direitos dos animais alertaram que os elefantes são frequentemente mantidos em condições precárias e não recebem comida suficiente.

Os elefantes, usados durante centenas de anos para atividades religiosas, assim como para batalhas de antigos reis, foram por muito tempo considerados sinal de riqueza, privilégio e poder.

O Sri Lanka tem cerca de 6.000 elefantes, mas os selvagens são ameaçados por degradação do habitat. Cerca de 200 elefantes são mortos todos os anos, principalmente por fazendeiros que tentam proteger as suas plantações.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.