Efeito da queda do preço do leite nos Açores não é só questão regional

Efeito da queda do preço do leite nos Açores não é só questão regional

 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Jul de 2015, 11:29

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, disse hoje que o efeito da queda do preço do leite no arquipélago não é apenas "uma questão regional" e pediu empenho ao executivo nacional para sensibilizar Bruxelas para este assunto.

Para Vasco Cordeiro, este é "um dos casos em que se exige um compromisso forte e efetivo" da parte do Governo da República no sentido de "demonstrar" às instituições europeias o "caráter específico e as circunstâncias especiais que este processo assume" na região autónoma dos Açores, que produz 30% do leite de todo o país e onde a agropecuária é um pilar da economia regional.

Os efeitos nos Açores da abolição das quotas leiteiras na Europa, em abril passado, nomeadamente, a queda do preço pago aos produtores, "não devem ser encarados apenas como um problema regional e uma questão regional", sublinhou Vasco Cordeiro, na abertura do primeiro Congresso Nacional dos Jovens Agricultores, em Ponta Delgada.

"Não pode competir apenas às entidades regionais a criação de mecanismos para minimizar os seus efeitos" ou "cair no erro" de considerar que, ao nível dos programas europeus para a agricultura "já existem medidas suficientes e bastantes para acudir" à situação criada pelo fim das quotas leiteiras, vincou ainda.

O presidente do executivo açoriano sublinhou que os programas europeus Prorural+ (desenvolvimento rural) e Posei (para as ultraperiferias) foram definidos para, "em condições de regularidade", contribuírem para o desenvolvimento da agropecuária e só "medidas extraordinárias devem ser a resposta a situações extraordinárias".

"As consequências da abolição do regime de quotas leiteiras, nomeadamente naquilo que tem a ver com a queda do preço à produção é uma situação extraordinária que se está a viver e deve merecer respostas extraordinárias", acrescentou.

A este propósito, Vasco Cordeiro voltou a defender que, no âmbito da revisão do Posei que está em curso, sejam criados "os mecanismos" necessários para atender a esta questão, "através de apoio financeiro suplementar, de uma dotação suplementar” destinada a "compensar o impacto económico-social e ambiental provocado pela desregulação dos mercados nas suas produções tradicionais na sequência de decisões da União Europeia".

Na quarta-feira, falando nos Açores, a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, afirmou que Portugal tem feito propostas em Bruxelas por causa do leite e a queda de preços, mas defendeu que "o foco" deve ser trabalhar dentro do "enquadramento" atual.

O presidente do Governo açoriano voltou, por outro lado, a referir-se às contribuições para a Segurança Social que estão a ser exigidas aos jovens agricultores, considerando que não têm sentido, por os "asfixiarem".

"Este é e deve ser um assunto prioritário no qual o Governo Regional tem estado empenhado e tem encetado contactos com o Governo da República e deve ser resolvido rapidamente sob pena de estarmos a contribuir para cometermos o erro histórico de penalizar novos agricultores hipotecando por esta via e, sobretudo, numa região como a nossa, o futuro de um importante setor de atividade que se quer robusto, competitivo e rejuvenescido", afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.