Duas dezenas de artistas internacionais em residência artistica no Pico,

Duas dezenas de artistas internacionais em residência artistica no Pico,

 

Lusa/AO Online   Regional   18 de Nov de 2016, 11:01

Duas dezenas de artistas internacionais vão estar reunidos, no Pico, nos Açores, durante 10 dias, em junho de 2017, no âmbito de uma residência artística promovida pela associação MiratecArts, explorando o tema da água, foi hoje anunciado.

“Recebemos mais de 40 candidaturas, muito mais do que estávamos à espera, e tivemos de formar um júri internacional que selecionou 20 artistas, que vão fazer esta residência artística com instalações, fotografia, dança, trabalho em vídeo explorando o tema da água”, disse o diretor artístico da associação, Terry Costa, em declarações à agência Lusa.

Segundo o fundador da MiratecArts, artistas da Alemanha, Áustria, Bélgica, Estados Unidos da América, Nova Zelândia, Israel, Índia, Colômbia e de várias localidades do Canadá (Vancouver, Calgary, Montreal, Hamilton e Toronto) vão estar na ilha do Pico desenvolvendo trabalhos através de pesquisas sobre o mar e lagoas, por exemplo.

“Já promovemos a residência de artistas a solo no Pico. Mas esta é a primeira vez que temos uma residência internacional e em grupo”, referiu o presidente da associação MiratecArts, que em 2017 comemora cinco anos.

Terry Costa disse que os participantes na residência artística internacional "vão passar 10 dias a explorar a ilha, desde as águas do mar às lagoas, e no final apresentam o trabalho que conseguiram desenvolver na ilha", sublinhou.

O diretor artístico da associação disse ainda que se trata da primeira parceria entre Arts Unfold (Canadá) e a MiratecArts.

A residência artística internacional “Era uma vez…água”, que se realiza de 20 a 30 de junho de 2017, vai decorrer em simultâneo com o festival internacional de artes Azores Fringe, organizado pela MirateArts, e que integra a rede internacional de mais de 200 festivais mundiais.

Terry Costa adiantou que para o Azores Fringe, que ocorre nas nove ilhas dos Açores, em junho, já estão confirmados arte e artistas de 50 países, com o foco "em especial na arte digital e filmes", acrescentando que o ano de 2017 marca "um ponto importante" para este projeto fundado em 2012.

“No início era só uma ideia para me segurar mais tempo a viver nas ilhas," explica Terry Costa", mas depois começou a ser muito mais porque me apaixonei pela ilha montanha e os Açores em geral e o meu objetivo é mesmo de passar cada vez mais tempo possível a desenvolver projetos artísticos no meio do oceano Atlântico”, salientou, indicando que este ano tiveram contacto de entidades e artistas de 102 países.

Fundada em 2012, na Madalena, ilha do Pico, a associação tem por finalidade "realçar o indivíduo, a equipa e a produtividade organizacional no mundo de artes e cultura".

Além destes dois eventos a associação promove ainda no início do ano o Montanha Pico Festival e em dezembro lança um novo projeto, o AnimaPIX, o festival de animação e vai também lançar, em 2017, o Jardim Saudade Garden, um projeto que vai permitir "o nascimento de um jardim dedicado à planta florífera scabiosa nitens", uma planta endémica das ilhas dos Açores.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.