Açores/Eleições

Duarte Freitas recorda início político na ilha natal, mas não de residência

Duarte Freitas  recorda início político na ilha natal, mas não de residência

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Out de 2016, 19:38

A poucos dias do fim da campanha eleitoral, o candidato do PSD a presidente do Governo Regional esteve hoje no Pico, ilha de onde é natural, mas não residente, tendo recordado o seu começo na política ativa.

“A política não era a minha opção, nem era algo que me atraísse de início. Aliás, as pessoas se calhar não saberão, mas apenas com 29 anos é que tive o primeiro cargo partidário”, disse Duarte Freitas aos jornalistas, após visitar a Cooperativa de Radiodifusão Cais Pico, que ajudou a fundar com amigos.

Duarte Freitas, cabeça de lista do PSD pelo círculo de São Miguel, que destacou ter sido um aluno “bonzinho”, “bastante reguila” e que gostava muito de jogar à bola, adiantou que primeiro começou por sentir o apelo do trabalho comunitário em várias organizações locais e só depois percebeu que a “política podia ser um expoente” da experiência comunitária adquirida.

Filho do antigo vice-presidente da Câmara de São Roque do Pico e um dos primeiros deputados do parlamento açoriano, bem como da primeira mulher na ilha a ser presidente de uma Assembleia Municipal, Duarte Freitas disse que espera “naturalmente ganhar as eleições no Pico”, à semelhança do que ocorreu nas Europeias quando foi candidato.

“A mudança de residência para São Miguel não tem nada a ver. Já mudei de residência para o Faial quando fui estudar, para a Terceira, para Lisboa, Bruxelas e Estrasburgo. Sou açoriano de todas as ilhas”, sustentou o candidato social-democrata, que se ganhar as eleições e formar Governo pretende efetuar a sua primeira viagem ao Corvo, a ilha mais pequena do arquipélago, pelo simbolismo que isso acarreta.

Além da criação da “Radio Cais” e “Jornal do Pico”, Duarte Freitas também esteve na génese do “Cais Agosto”, um festival de verão cujo projeto apresentou à autarquia liderada pelo PS em 1992, com um grupo de amigos.

“As voltas que a vida dá. A escola onde andei abriga agora um dos meus filhos, sem ser de carne e osso”, referiu o candidato acompanhado do amigo Adalberto Xavier, atual presidente da Cooperativa de Radiodifusão, localizada mesmo em frente ao quartel dos bombeiros, instituição de que Duarte Freitas ainda é presidente do Conselho Fiscal e que disse ter “boas contas”.

À comunicação social privada nos Açores o candidato social-democrata prometeu mais apoio financeiro e a redução do peso do Gabinete de Apoio à Comunicação Social do Governo Regional (GACS).

“O GACS vai ater-se, unicamente, à publicidade institucional. Vou diminuir substancialmente as assessorias de imprensa das várias secretárias e pelas contas que já fizemos vamos poupar cerca de 500 mil euros”, adiantou Duarte Freitas, acrescentando que essa verba será aplicada no apoio à comunicação social privadas nos Açores, que passa por uma “enorme dificuldade”.

Para a votação de dia 16 estão inscritos 228.160 eleitores que vão escolher os 57 deputados à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores para os próximos quatro anos.

Treze forças políticas apresentam-se a votos, mas nem todas concorrem nos dez círculos eleitorais. Apenas aos círculos de São Miguel, que elege 20 deputados, e de compensação, que elege cinco, concorrem todas.

Nas últimas eleições regionais, realizadas a 14 de outubro de 2012, o PS venceu com maioria absoluta e elegeu 31 deputados, seguido de PSD com 20 mandatos e do CDS-PP com três. BE, CDU e PPM elegeram um parlamentar cada.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.