Duarte Freitas espera projeto ambicioso com Rui Rio na líderança

Duarte Freitas espera projeto ambicioso com Rui Rio na líderança

 

Lusa/AO online   Regional   16 de Fev de 2018, 10:54

O presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, disse, esta sexta-feira, esperar que o projeto de Rui Rio para a liderança do PSD seja "ambicioso", de "afirmação e de alternativa ao Governo do PS" apoiado pelo Bloco de Esquerda e PCP.

“O presidente do partido é Rui Rio, é o presidente de todos os militantes. E a expectativa que temos é que o seu projeto seja um projeto ambicioso, seja um projeto de afirmação e que seja naturalmente um projeto de alternativa ao governo do PS com o apoio do BE e PCP”, afirmou Duarte Freitas, questionado sobre as expectativas da nova liderança social-democrata.

O líder dos sociais-democratas açorianos vincou que “se o PS é um partido que representa os interesses do Estado, o PSD tem de ser um partido que represente os interesses dos cidadãos”.

Aquando das eleições no PSD, Duarte Freitas não se pronunciou sobre nenhum dos candidatos e o PSD/Açores deu "a igualdade de oportunidade na sua presença nos Açores" quer a Rio quer a Santana Lopes, acrescentou.

Questionado sobre se conta que o PSD/Açores esteja representado nos órgãos nacionais, Duarte Freitas sustentou que "naturalmente que o partido conta continuar a ter uma presença positiva no âmbito daquilo que são as orientações do PSD".

"Contamos que a atual vice presidente Berta Cabral continue como vice presidente porque ela também representa o PSD/Açores", acrescentou ainda quando questionado pelos jornalistas a propósito do congresso do partido que decorre este fim de semana.

Quanto ao olhar da nova liderança sobre a Autonomia, Duarte Freitas recordou que o PSD quer seja no âmbito nacional ou no âmbito regional "é um dos pais fundadores do processo autonómico".

"As autonomias na sua evolução têm sempre o apoio do PSD. É preciso é que as competências que nós temos no âmbito da Autonomia possam também servir para aproximar os Açores das melhores médias nacionais e internacionais", sustentou.

O 37.º Congresso do PSD começa hoje à noite, arrancando com o discurso de ‘despedida’ de Passos Coelho e a primeira intervenção de Rui Rio como presidente do partido.

Com arranque previsto para as 21:00, no Centro de Congressos de Lisboa, os trabalhos serão abertos pelo líder da distrital lisboeta, Pedro Pinto.

Segue-se a intervenção de Pedro Passos Coelho, que esteve à frente do partido desde março de 2010, tornando-se o segundo líder com mandato mais longo no PSD, quase oito anos, só atrás de Cavaco Silva, que presidiu aos destinos dos sociais-democratas por quase uma década.

Rui Rio fará depois o seu primeiro discurso perante os congressistas, uma intervenção que, segundo fontes do partido, incidirá sobre o PSD e sobre o regime político, embora num estilo comunicacional mais virado para os portugueses do que para consumo interno.

Na quinta-feira à noite, a ‘newsletter’ do PSD, dedicada ao Congresso, destacava uma frase de Rui Rio, segundo a qual a reunião magna dos sociais-democratas dará início à “construção de uma alternativa de governo à atual frente de esquerda que se formou no parlamento”, garantindo o líder eleito que o atual executivo “terá na nova liderança do PSD uma oposição firme e atenta que visará, sempre, o interesse nacional”.

Eleito presidente da Comissão Política Nacional em 13 de janeiro, com 54% dos votos, Rio tem estado praticamente em silêncio no último mês.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.