Duarte Freitas diz que Açores devem ter governação que pague o que deve e não gaste mais do que tem

Duarte Freitas diz que Açores devem ter governação que pague o que deve e não gaste mais do que tem

 

LUSA/AOnline   Regional   20 de Jan de 2017, 20:05

O líder do PSD/Açores considerou hoje fundamental que os Açores tenham uma governação que pague o que deve e não gaste mais do que tem, criticando o Governo Regional socialista por se comportar como dono da região.

“É fundamental que os Açores tenham uma governação que pague o que deve, não gaste mais do que tem e que, por isso, estabeleça prioridades”, afirmou Duarte Freitas, na abertura do XXII Congresso Regional do partido, em Rabo de Peixe, no concelho da Ribeira Grande.

Para Duarte Freitas, “numa região em que o Governo se comporta, muitas vezes, como se fosse dono dos Açores”, cabe ao PSD “assumir a responsabilidade como grande força de fiscalização e escrutínio político”, mas também “apresentar soluções para os problemas” da população.

O dirigente social-democrata, reeleito para um terceiro mandato em dezembro, após perder as eleições legislativas regionais de outubro, agradeceu a confiança, declarou-se “disponível, com toda a humildade, para o diálogo e para corrigir e melhorar o que há a melhorar”, e adiantou que o objetivo do PSD/Açores “é fazer uma oposição cada vez mais eficaz e afirmativa, construindo uma verdadeira alternativa política”.

Reconhecendo que “esta é uma missão árdua que exige de todos” os militantes “muito trabalho, muito engenho e muita paciência”, Duarte Freitas destacou que o PSD/Açores “continua a merecer a confiança de uma parte muito significativa do eleitorado”, mas admitiu que o partido tem “de refletir sobre o que pode fazer de mais, melhor e diferente para ajudar os açorianos”.

O líder regional do PSD reafirmou que nesta missão, que “vai exigir muito trabalho de todos”, o partido não pode esperar da parte dos adversários mais do que “as críticas habituais” em relação às suas propostas, assinalando que “todas as propostas e ideias são normalmente desmerecidas” por aqueles.

Quanto às últimas eleições regionais, Duarte Freitas considerou ter ficado demonstrado haver “muitos milhares de açorianos que acreditam no PSD/Açores”, reconhecimento ao qual o partido tem “obrigação de dar resposta”, assim como “aos milhares de açorianos que, cansados de 20 anos de poder socialista, se refugiam e refugiaram na abstenção”.

“O PS já perdeu muitos milhares de votantes, mas ainda não perdeu as eleições. A maioria absoluta dos eleitores continua à espera de um projeto alternativo e cabe-nos a responsabilidade de trabalhar mais e melhor, aprendendo com os erros, para ganharmos a confiança dos açorianos no futuro”, adiantou, apontando para 2020, ano das próximas eleições regionais, para conseguir o que o PSD não conseguiu em 20 anos de oposição, “vencer as eleições” para servir as açorianas e os açorianos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.