CDS-PP considera "crucial" reponderar compra de novos barcos nos Açores

CDS-PP considera "crucial" reponderar compra de novos barcos nos Açores

 

AOnline/LUSA   Regional   6 de Jun de 2015, 15:19

O presidente do CDS-PP/Açores considerou hoje "crucial" ponderar a compra de novos barcos pela região, alertando para os custos de manutenção, e pediu o fim dos "concursos de alfaiate" para colocar 'boys' na administração pública açoriana.

Nos transportes marítimos, "é absolutamente crucial" que "os investimentos que venham a ser pensados e realizados sejam meticulosamente ponderados e orçamentados, pelos seus custos de aquisição, mas sobretudo, pelos encargos de manutenção", disse Artur Lima, na apresentação da sua Moção Estratégia Global ao IX Congresso Regional do CDS-PP/Açores, que decorre na Madalena, ilha do Pico.

A compra de dois novos navios para passageiros nos Açores "não pode ser um devaneio político de um presidente do Governo [Regional]", disse Artur Lima, afirmando que "isso é dinheiro dos açorianos".

Para o dirigente do CDS-PP, não pode repetir-se "o descalabro" da frota adquirida pela SATA para as ligações inter-ilhas, que a administração da companhia aérea dos Açores reconhece estar, em parte, "ociosa", por ser sobredimensionada.

Na moção que submete a este congresso, Artur Lima, que será reeleito este fim-de-semana como presidente do CDS-PP/Açores para novo mandato, apresenta a estratégia do partido para os próximos anos, assim como aquilo que defende para o arquipélago.

O dirigente do CDS-PP/Açores defende a valorização da agricultura, das pescas, do mar e do turismo e a melhoria das "políticas de transportes e acessibilidades" como forma de "vencer o desafio da produtividade, do emprego qualificado, do desenvolvimento" e contrariar "os indicadores económicos de estagnação" da região.

No texto, revela que, neste contexto, o CDS-PP está a ultimar "uma iniciativa legislativa que visa constituir nos Açores uma plataforma de acompanhamento das relações comerciais (entre produção, indústria e consumidores) nos setores produtivos insulares".

Artur Lima disse hoje aos congressistas que "a iniciativa privada é que cria emprego" e o CDS-PP/Açores quer "evitar a todo o custo os concursos de alfaiate que tanto põem os 'boys' nos lugares certos nas empresas públicas sob o domínio do governo".

No texto da moção, concretiza que "as chefias, em todos os níveis da administração pública", devem ser "ocupadas por concurso, por mérito e por distinção".

No que toca ao turismo, defendeu que a aposta deve ser não no "modelo de massas" que tem sido seguido, que revela "sinais de agonia" e serve apenas "uma ou duas ilhas", mas na valorização das potencialidades específicas dos Açores, apontando o caso do turismo religioso, termal, focado na biodiversidade marinha ou no vulcanismo. Outra aposta deve ser "o turismo interno", estimulando a mobilidade dos açorianos dentro do arquipélago, afirmou.

Para o setor do mar, insiste na aposta na aquacultura, na valorização e diversificação da indústria transformadora de pescado e em melhores transportes de carga, para garantir o escoamento de peixe.

Artur Lima promete ainda continuar a apresentar propostas nas áreas sociais, onde considera que o partido tem um legado constituído ao longo de décadas, através de iniciativas suas que viu aprovadas e negociou com os governos regionais.

Nas palavras que dirigiu aos congressistas, focou, em especial, a saúde, que considerou estar "cada vez mais depauperada" por causa das políticas dos últimos anos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.