Dossier da Base das Lajes "salta de ministro em ministro", acusa PSD

Dossier da Base das Lajes "salta de ministro em ministro", acusa PSD

 

Miguel Bettencourt Mota   Regional   16 de Nov de 2017, 13:09

O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República, António Ventura, acusou o Governo da República, e em particular o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, de não ter assumido de forma concreta a questão da descontaminação dos solos e aquíferos contingentes à Base das Lajes e de fugir às perguntas deixadas em parlamento.

O parlamentar que falava esta quarta-feira durante uma audição a Santos Silva, no âmbito do Orçamento de Estado para 2018 (OE2018), deixou ásperas críticas ao governo liderado por António Costa e lamentou que a solução para o problema de contaminação que assola a Base das Lajes esteja a ser adiada.

"O ministro do Ambiente e o ministro da Defesa, nas respetivas audições sobre o OE2018, remeteram declarações sobre a descontaminação para si [Augusto Santos Silva] e, portanto, estiveram em silêncio", disse António Ventura, fazendo questão de denunciar que o que se está a passar "é grave, pois a descontaminação salta de ministro em ministro e de comissão para comissão, sem solução".

Citado por uma nota de imprensa do partido, o social-democrata lamentou ainda que o ministro nada tenha respondido e acusou-o de atirar o problema da Base das Lajes para a frente. Considera, por isso, que, "uma vez mais", Santos Silva "enganou os terceirenses e enganou os açorianos".

 António Ventura confrontou também o ministro dos Negócios Estrangeiros com o duplo pedido, já feito em requerimento pelo grupo parlamentar do PSD, "do estudo que os norte-americanos fizeram sobre a contaminação na Praia da Vitória. A esse respeito, apontou: "primeiro, o ministro disse que precisava de autorização diplomática dos Estados Unidos para fornecê-lo, e depois disse que não conhecia o estudo. É incrível este tipo de resposta, e mostra como é urgente saber o que este governo está a esconder dos portugueses e dos açorianos, sobre uma matéria tão grave", concluiu.





Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.