Dois palestinianos mortos num ataque de Israel na Faixa de Gaza

Dois palestinianos mortos num ataque de Israel na Faixa de Gaza

 

Lusa / AO online   Internacional   27 de Mai de 2018, 12:36

Dois palestinianos morreram hoje num ataque do Exército israelita contra um posto de observação do grupo islamita Jihad Islâmica na Faixa de Gaza, em resposta à colocação de um explosivo numa vala, informaram fontes oficiais.


As vítimas mortais, Hussein al-Amur, de 25 anos, e Abdel Halim al-Naqa, de 28 anos, morreram depois de tanques israelitas terem disparado dois projeteis na localidade meridional do enclave costeiro, adiantou o porta voz do ministério da Saúde, Ashraf al Qedra.

O Jihad Islâmica admitiu que os mortos eram membros do seu braço militar, as Brigadas al Quds, segundo um comunicado.

O Exército israelita declarou que "atacou um posto de observação militar no sul da faixa de Gaza" como resposta à colocação de um "dispositivo explosivo perto de uma vala de segurança" no sábado, "com a intenção de atingir soldos do Exército que estavam na altura na zona" e foi detonado sem causar feridos.

No sábado à noite as forças israelitas também bombardearam posições do movimento islamita Hamas como resposta a um incidente ocorrido horas antes no qual quatro palestinianos lançaram uma bomba incendiária.

A tensão na Faixa de Gaza aumentou com os protestos palestinianos da Grande Marcha do Retorno, que se celebra desde 30 de março último, e que estava previsto terem terminado em 15 de maio, Dia da Nakba (Catástrofe em árabe) que simboliza, para os árabes, a criação do Estado de Israel.

Contudo, o Hamas apelou para a manutenção das mobilizações até 5 de junho próximo, quando se comemora o início da Guerra dos Seis Dias de 1967, quando começou a ocupação israelita dos territórios palestinianos e do Golã sírio.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.