Dois novos satélites do sistema de navegação europeu lançados na 5.ª feira

Dois novos satélites do sistema de navegação europeu lançados na 5.ª feira

 

Lusa/AO online   Ciência   20 de Ago de 2014, 17:29

A agência espacial europeia ESA lança, na quinta-feira, dois novos satélites Galileo, aumentando para seis o número de engenhos, em órbita, do sistema de navegação por satélite da União Europeia.

O lançamento, a bordo de um foguetão russo Soyuz, será feito da base espacial europeia, em Kuru, na Guiana Francesa, às 12:31 GMT (13:31 em Lisboa), informou a ESA.

Ao fim de três horas, 47 minutos e 57 segundos, os satélites serão descolados do módulo superior (Fregat) do foguetão, através de um sistema de separação pirotécnica, quando atingirem a altitude final de 23.500 quilómetros.

Trata-se do quinto e sexto satélites do sistema de navegação por satélite europeu Galileo, com o qual a União Europeia pretende melhorar serviços essenciais, como a segurança do transporte rodoviário e ferroviário e a capacidade de resposta a situações de emergência.

Segundo a Comissão Europeia, os sinais do Galileo "permitirão aos utilizadores conhecer a sua posição no tempo e no espaço com mais precisão e fiabilidade do que os dos atuais sistemas" de navegação por satélite.

O sistema Galileo "será compatível e até, no caso de alguns dos seus serviços, interoperável com outros sistemas semelhantes existentes", de alcance global, como o norte-americano GPS e o russo GLONASS, "mas será autónomo".

Os primeiros quatro satélites Galileo foram lançados na órbita terrestre em 2011 e 2012, para validar o funcionamento, conforme planeado, do sistema de navegação.

A Comissão Europeia pretende ter uma constelação de 30 satélites ativos em órbita, incluindo seis unidades de emergência, até 2020.

Os satélites que irão ser lançados na quinta-feira chamam-se Doresa e Milena, nomes dados por duas crianças vencedoras de um concurso que decorreu em toda a União Europeia.

Para o comissário europeu da Indústria e do Empreendedorismo, Ferdinando Nelli Feroci, citado hoje num comunicado de imprensa da Comissão Europeia, "o lançamento destes dois satélites inaugura a fase de operacionalidade plena do programa Galileo e dá um novo impulso a um projeto verdadeiramente europeu que assenta nos recursos dos países da UE com o objetivo de maximizar os benefícios para os seus cidadãos".

De acordo com Nelli Feroci, o sistema de navegação por satélite europeu proporciona "aplicações com um enorme potencial económico" e suporta as metas da União Europeia de "crescimento e competitividade".

O comissário adiantou que, a partir de 2015, a UE terá disponível um sistema de lançamento de foguetões Ariane 5, de construção europeia, graças a um "novo contrato que vale 500 milhões de euros para a indústria espacial".

Para concluir a constelação de 30 satélites, a ESA fará, em diante, uma série de lançamentos - dois satélites por cada lançamento de um foguetão Soyuz e quatro satélites por cada lançamento de um foguetão Ariane 5.

Em março, foi inaugurada na ilha de Santa Maria, nos Açores, uma das estações para monitorização do sinal e posição dos satélites Galileo.

O lançamento, na quinta-feira, dos dois novos satélites pode ser acompanhado em direto no portal http://ec.europa.eu/avservices/ebs/live.cfm?page=1.

A Comissão Europeia estima que o mercado mundial de produtos e serviços de navegação por satélite atinja 237 mil milhões de euros em 2020.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.