Dois concelhos dos Açores sem recolha seletiva de resíduos


 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Fev de 2016, 14:34

A recolha seletiva de resíduos nos Açores ainda não foi aplicada em dois dos 19 concelhos, um cenário que o presidente da Associação de Municípios da Região Autónoma, Roberto Monteiro, gostaria de ver ultrapassado ainda este ano.

 

"Presentemente, apenas o Corvo e as Velas [ilha de São Jorge] ainda não fazem qualquer tipo de recolha seletiva de resíduos", disse hoje à Lusa Roberto Monteiro, acrescentando que "seria bom que em 2016 todos os concelhos dos Açores fizessem reciclagem, apesar de esta não ser uma competência da associação".

Roberto Monteiro adiantou que no caso da Calheta, outro dos municípios da ilha de São Jorge, "só no início de 2016 foi iniciada a recolha direta de pilhas", algo que considerou ser "um primeiro passo" para uma recolha seletiva total de resíduos neste concelho.

No final de 2015, o presidente da Câmara da Calheta, Décio Pereira, disse à Lusa que o orçamento municipal para este ano previa investimentos para implementar o sistema no concelho.

No caso das Velas, o autarca Luís Silveira também garantiu que a recolha seletiva será aplicada em todo o concelho em 2016, recorrendo a uma candidatura a fundos comunitários.

"Contamos durante o corrente ano iniciar a recolha seletiva. O nosso orçamento está dotado com meio milhão de euros para esse efeito, pelo que teremos de comprar viaturas preparadas para a recolha seletiva e criar uma rede de ecopontos", afirmou Luís Silveira.

Segundo o presidente do município, em 2014 foi inaugurado na ilha de São Jorge um centro de processamento de resíduos, um investimento do Governo Regional de cerca de seis milhões de euros, que já está a funcionar, uma vez que "ambos os concelhos vão lá depositar os seus resíduos indiferenciados, sendo que depois a separação acaba por ser feita lá".

A Lusa tentou contactar o presidente da Câmara do Corvo, sem sucesso.

O presidente da associação de municípios adiantou que na ilha do Pico ocorre uma situação "muito particular" porque os três municípios (Madalena, São Roque e Lajes) uniram-se para implementar a recolha seletiva, sendo um responsável pela recolha na ilha do papel/cartão, outro pelo plástico/metal e outro ainda pelo vidro.

Roberto Monteiro, também presidente da Câmara da Praia da Vitória, na ilha Terceira, referiu que "há vários anos que a reciclagem ocorre no concelho, onde não existem contentores para lixo indiferenciado", obrigando a "uma fiscalização muito grande e a manter um sistema de recolha porta-a-porta dos indiferenciados com muita regularidade".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.