Dois acusados na Malásia de roubarem vítimas do voo MH370

Dois acusados na Malásia de roubarem vítimas do voo MH370

 

Lusa/AO online   Internacional   20 de Ago de 2014, 11:52

Uma bancária malaia e o marido foram acusados de falsificação e roubo depois de terem, alegadamente, retirado mais de 30.000 dólares das contas de quatro passageiros do voo MH370, que desapareceu em março.

 

Nur Shila Kanan, que trabalhou durante dez anos para o banco HSBC, e o marido Basheer Ahmad Maula Sahul Hameed, mecânico, terão retirado um total de 110.643 ringgit (34.850 dólares) das contas de dois malaios e dois chineses, que embarcaram no voo MH370 da Malaysia Airlines, disse o advogado do casal Hakeem Aiman Affandi.

O dinheiro foi retirado através de caixas multibanco e transferências eletrónicas entre 14 de maio e 08 de julho, acrescentou Hakeem.

A acusação de transferência eletrónica ilegal de dinheiro implica uma pena de até dez anos de prisão.

A polícia malaia procura ainda um outro suspeito, um paquistanês, que pensa também estar envolvido nas transferências eletrónicas ilegais.

O caso desencadeou uma onda de indignação na Malásia, que continua a tentar encontrar o avião que fazia o voo MH370 entre Kuala Lumpur e Pequim e que desapareceu a 08 de março.

Os investigadores suspeitam que o aparelho se afastou da rota, por razões desconhecidas, tenho voado para sul sobre o oceano Índico, na direção oposta à rota prevista, mas até agora não encontraram quaisquer vestígios, apesar de uma operação internacional de busca do "Boeing 777".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.