Dirigente de associação portuguesa no Canadá defende criação de Casa de Portugal

Internacional /
bandeira Canadá

870 visualizações   

O futuro das associações portuguesas no Canadá pode passar pela fusão das coletividades com a criação de uma Casa de Portugal, disse à agência Lusa uma dirigente luso-canadiana.
 

 

"Penso que na comunidade portuguesa o grande problema é existirem muitas associações e clubes. Temos previsto um plano de futuro para tentarmos a união com outras associações e formar uma Casa de Portugal", afirmou Conceição Ferreira, presidente da Associação Portuguesa do Canadá (APC).

A APC, em Montreal, está a celebrar em 2016 o seu 60.º aniversário, naquela que é a associação portuguesa no Canadá mais antiga no país, fundada em 07 de janeiro de 1956.

Segundo Conceição Ferreira, numa Casa de Portugal "seria mais fácil trabalhar em conjunto" e de uma forma mais prática.

Atualmente, a APC já tem uma comissão que está a estudar a fusão com outras coletividades em Montreal, salientou.

"Mais dia, menos dia acontece. Ou se unem dois ou três clubes, ou vão fechando as portas. Não quero ser pessimista, mas julgo que o futuro será esse. Tem que se fazer algo, porque senão será uma morte lenta", previu.

A dirigente defende esta fusão das coletividades fruto das vicissitudes do associativismo, nomeadamente no rejuvenescimento das direções, e a burocracia com que cada vez mais se deparam, além da formação e profissionalismo exigidos aos diretores.

"Os voluntários estão desgastados. São sempre os mesmos, e têm que desempenhar várias funções, no bar, na cozinha, na limpeza. Depois há as dificuldades nas exigências dos vários governos, tem que ser tudo declarado, têm que ser responsáveis e saber preencher formulários e documentação", sublinhou.

O projeto de fusão será feito de uma forma progressiva "primeiro com uma associação, depois com outra", cada uma depois "vende a sua sede" e juntas adquirem um edifício com outras condições para a comunidade, adiantou a responsável.

No entanto, Conceição Ferreira, reformada na Comissão Escolar de Montreal, reconheceu que não será fácil, pois ninguém quer perder a associação da sua região.

"Tem que se trabalhar a mentalidade numa ação futura que seja mais pragmática e realista. É um trabalho árduo. É difícil, o que não quer dizer que não se possa fazer, porque a realidade é esta, estão todos a passar pelo mesmo", frisou.

A Associação Portuguesa do Canadá organiza vários eventos temáticos ligados às várias regiões de Portugal, disponibiliza um serviço de restauração (catering) com o objetivo de angariar verbas para pagar os 100 mil dólares canadianos anuais de despesas na sua sede de três andares.

Por dificuldades de calendarização, a Gala do Aniversário da APC, uma coletividade que permanece como uma "pedra basilar da comunidade portuguesa em Montreal", realiza-se apenas em janeiro de 2017.

Oficialmente, há 429 mil portugueses e lusodescendentes no Canadá segundo dados dos sensos de 2011, dos quais 46.535 estão em Montreal.