Investigação da PJ

Direção da Câmara do Comércio da Horta está de "consciência tranquila"

Direção da Câmara do Comércio da Horta está de "consciência tranquila"

 

Lusa/AO online   Regional   26 de Jul de 2012, 12:39

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta (CCIH), Humberto Goulart, assegurou estar de "consciência tranquila" perante as investigações da Polícia Judiciária (PJ) à anterior direção.

Em conferência de imprensa, realizada na cidade da Horta, o empresário escusou-se, no entanto, a fazer comentários sobre os casos que estão a ser investigados pela PJ, alegando que são matérias que estão sob sigilo.

"Não vamos alimentar mais polémicas à volta deste assunto", sublinhou Humberto Goulart, acrescentando que os atuais membros da direção não podem nem devem pronunciar-se sobre assuntos que estão sob investigação policial, para evitarem "interferir no processo”.

O presidente da direção da CCIH lamentou, porém, que tenham sido "denúncias anónimas" a dar origem a esta investigação, lembrando que "qualquer cidadão" pode estar sujeito ao mesmo, correndo o risco de ver o seu nome manchado na praça pública.

Humberto Goulart recordou que as contas da instituição estão "devidamente certificadas" e foram aprovadas, em assembleia-geral, pela maioria dos sócios, lamentando que as eleições para os novos corpos sociais tenham ficado marcadas por um "processo conturbado", que deu origem a várias queixas anónimas.

A PJ está a investigar um caso de alegado favorecimento pessoal por parte do ex-presidente da CCIH, Ângelo Duarte.

Segundo fonte da instituição, os investigadores da PJ estarão a analisar as ligações entre a CCIH e os negócios do anterior presidente, e também as polémicas relacionadas com últimas eleições para os corpos sociais, que obrigaram a repetir a assembleia-geral por duas vezes.

A PJ estará também a investigar o processo de contratação da filha de Ângelo Duarte, que estava a trabalhar na CCIH, ao abrigo do programa Estagiar L, e que foi contratada para os quadros da instituição, durante o mandato do pai.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.