Dilma Rousseff promete dar prioridade à educação e governo mais transparente

Dilma Rousseff promete dar prioridade à educação e governo mais transparente

 

Lusa/AO Online   Internacional   2 de Jan de 2015, 07:35

A Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, anunciou hoje que o lema do seu segundo mandato será "Brasil, pátria educadora", ressaltando a ênfase que pretende dar à educação e prometendo ainda um reajuste fiscal e uma reforma política.

"Ao bradarmos 'Brasil, pátria educadora', queremos mostrar que educação será a prioridade das prioridades, mas também que devemos buscar em todas as ações do governo uma prática cidadã", afirmou a presidente no seu discurso de posse, no qual destacou ainda a intenção de criminalizar e punir com maior rigor a prática da corrupção no país.

Dilma Rousseff admitiu ainda saber que os caminhos da economia são uma preocupação para o povo brasileiro e avançou que pretende realizar uma reforma fiscal, que deverá beneficiar pequenos e micro empresários.

"O Brasil precisa voltar a crescer [...] e faremos isso com o menor sacrifício possível da população", prometeu Rousseff, reafirmando em seguida o seu compromisso de manter todos os direitos laborais e sociais.

A Presidente admitiu ainda saber que os caminhos da economia são uma preocupação para o povo brasileiro e avançou que pretende realizar uma reforma fiscal que deverá beneficiar micro e pequenos empresários.

"Vamos acabar com o abismo tributário que faz os pequenos negócios terem medo de crescer, sabemos que se o pequeno negócio não cresce, o país também não cresce", avançou, a garantir que os reajustes serão feita "com o menor sacrifício possível da população".

Para a economia, a Presidente defendeu ainda um ajuste nas contas públicas, aumento da poupança interna e da produtividade da economia, ao passo que garantiu a manutenção de todos os direitos laborais e sociais e o lançamento do terceiro Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), destinado a projetos de logística e energia.

Tomando posse num contexto de escândalos de corrupção envolvendo a maior empresa do país, a petrolífera Petrobras, cujo controle acionário é detido pelo Estado, Dilma Rousseff prometeu ainda "combater energicamente a corrupção", criando leis que tipifiquem o crime de 'caixa dois' (saco azul) e punições a agentes públicos que enriqueçam ilicitamente durante os seus mandatos.

"A corrupção rouba o poder legítimo do povo, ofende e humilha os trabalhadores, empresários e brasileiros honestos", reforçou.

A Presidente voltou a falar ainda em reforma política, tema que já havia aparecido em seu discurso da vitória, e admitiu que o povo "quer mudanças", fazendo referências as manifestações de rua ocorridas principalmente em junho de 2013, mas também às manifestações de insatisfação constantes durante a campanha presidencial do ano passado.

Dilma Rousseff chegou ao governo em janeiro de 2011, tendo cumprido os quatro anos de mandato em dezembro deste ano. A Presidente foi reeleita em outubro último com 51 por cento dos votos, contra 48% do seu principal opositor, Aécio Neves.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.