Dia da Igualdade Salarial assinalado esta quarta feira quando mulheres ganham menos 18% do que homens

Nacional /
Euros dinheiro notas

481 visualizações   

A campanha da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego pela igualdade salarial em Portugal arranca hoje, lembrando que as portuguesas ganham em média menos 18% do que os homens, à semelhança do que se passa na Europa.
 

O Dia da Igualdade Salarial assinala-se esta quarta feira pela primeira vez em Portugal e a data é celebrada a 06 de março porque, em média, as mulheres portuguesas têm de trabalhar mais 65 dias do que os homens para conseguirem o mesmo ordenado

O que significa que para terem, em 2012, o mesmo ordenado que os homens, as mulheres portuguesas têm de trabalhar até ao dia 06 de março de 2013.

Os dados são da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE) que para assinalar o dia lança hoje uma campanha informativa nos meios de transporte públicos coletivos, além de vários cartazes nas ruas de Lisboa, Almada e Porto.

Em declarações à Lusa, a presidente da CITE, Sandra Ribeiro, explicou que vão igualmente procurar sensibilizar os principais agentes do mercado de trabalho, entregando um presente simbólico aos presidentes executivos das maiores empresas portuguesas cotadas em Bolsa (PSI20), às associações patronais dos principais setores económicos e aos parceiros sociais.

Por outro lado, na sexta-feira, Dia Internacional da Mulher, a Assembleia da República discute oito iniciativas legislativas apresentadas pelo PCP, BE, PS e Os Verdes para combater as desigualdades e valorizar os direitos das mulheres.

Entre os vários projetos de lei, o do Partido Socialista propõe a criação do regime jurídico das Organizações Não Governamentais para a Igualdade de Género (ONGIG).

Entretanto, mais de duas dezenas de empresas, desde transportadoras, instituições bancárias, tecnológicas ou consultoras, entre privadas e públicas, concordaram em implementar cerca de 90 medidas pela igualdade de género no local de trabalho, uma iniciativa inédita em Portugal, uma ação apoiada pela CITE.

Dados da Comissão Europeia, de outubro de 2012, davam conta que em Portugal apenas 6% de mulheres ocupam lugares nos conselhos de administração das empresas incluídas no PSI20, um número bastante abaixo da média europeia, que ronda os 13,7%. Olhando para os lugares de presidente executivo e não executivo, a percentagem desce para 0%.

Por outro lado, aponta que as mulheres portuguesas representam 5,4% nos lugares de diretores não executivos e 7,6% nos lugares de diretores executivos no conjunto das maiores empresas nacionais cotadas em bolsa, para lá das do PSI20.

Ainda no que diz respeito às desigualdades salariais, um estudo da Comissão Europeia, divulgado a semana passada, dá conta de que as mulheres europeias precisam de trabalhar, em média, mais 59 dias do que os homens para conseguir ter o mesmo ordenado.

De acordo com a Comissão, a disparidade salarial média de 16,2% revela uma ligeira diminuição observada nos últimos anos, já que se chegou a registar cerca de 17%. No entanto, a tendência para a diminuição pode ser explicada pelo impacto da recessão económica nos diferentes setores, nomeadamente naqueles que são dominados pelos homens, como a construção civil.

Nesse âmbito, a Comissão vai realizar um fórum empresarial, em Bruxelas, a 21 de março, para 150 empresas de toda a Europa, ao mesmo tempo que está a preparar um relatório sobre a aplicação da diretiva europeia referente à igualdade de remuneração.

Diário de Notícias Dinheiro Vivo Jornal de Notícias Notícias Magazine O Jogo TSF Volta ao Mundo Açoriano Oriental DN Madeira Jornal do Fundão