DGArtes: Marcelo vai falar com autarcas e aguarda dados sobre apoios ao teatro

DGArtes: Marcelo vai falar com autarcas e aguarda dados sobre apoios ao teatro

 

Lusa/AO online   Nacional   2 de Abr de 2018, 17:36

O Presidente da República afirmou esta segunda-feira que vai falar com alguns autarcas e que aguarda dados sobre os apoios plurianuais ao teatro e prometeu pronunciar-se depois sobre este assunto.

Interrogado se ainda não falou com o Governo sobre esta matéria, Marcelo Rebelo de Sousa não respondeu diretamente à questão, mas ressalvou que só irá pronunciar-se publicamente, "claro, depois de falar com o senhor primeiro-ministro".

O chefe de Estado foi questionado sobre a contestação ao Programa de Apoio Sustentado da Direção-Geral das Artes para o período 2018-2021 no final de uma iniciativa no Centro Comercial Colombo, em Lisboa, e respondeu: "Penso que estão a falar do apoio ao teatro. Eu devo dizer que durante o fim de semana vi noticiada essa questão. Não tenho dados ainda".

"Irei falar com alguns autarcas, irei receber os dados relativamente àquelas companhias que foram apoiadas, aqueles teatros que foram apoiados, e às companhias e teatros que não puderam ser neste programa. E, quando tiver os elementos na minha mão, aí pronunciar-me-ei", acrescentou.

Os resultados provisórios dos concursos ao Programa de Apoio Sustentado 2018-2021 da Direção-Geral das Artes, conhecidos na sexta-feira, têm suscitado protestos de companhias e criadores.

Um conjunto de agentes do teatro reuniu-se no sábado em Lisboa em contestação ao processo de atribuição das verbas plurianuais, tendo decidido constituir uma plataforma e pedir uma reunião ao primeiro-ministro, António Costa.

Os concursos ao Programa de Apoio Sustentado às Artes 2018-2021 abriram em outubro, com um valor global de 64,5 milhões de euros para apoiar modalidades de circo contemporâneo e artes de rua, dança, artes visuais, cruzamentos disciplinares, música e teatro.

No sábado, o Governo anunciou um reforço do montante disponível até 2021, para 72,5 milhões de euros.

De acordo com os resultados provisórios dos concursos comunicados aos candidatos, a que a agência Lusa teve acesso, 50 candidaturas das 89 avaliadas na área do teatro deverão receber apoio estatal, e várias estruturas que tiveram apoios no passado ficarão de fora, como o Teatro Experimental de Cascais, O Teatrão e Escola da Noite, de Coimbra, o Centro Dramático de Évora e o Teatro das Beiras, da Covilhã.

Igualmente excluídos ficarão o Teatro Experimental do Porto, a Seiva Trupe, o Festival Internacional de Marionetas e o Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (FITEI), também do Porto, o Teatro de Animação de Setúbal, das 39 estruturas e projetos que ficam sem financiamento.

Entre as companhias mais apoiadas estão a Teatro Praga, Companhia de Teatro de Almada, Artistas Unidos, O Bando, Teatro do Noroeste, Companhia de Teatro de Braga, Companhia de Teatro do Algarve (ACTA), a Comuna - Teatro de Pesquisa e Novo Grupo de Teatro, do Teatro Aberto, todas com um apoio para o quadriénio 2018-2021 superior a um milhão de euros.

Teatro do Elétrico, Teatro Extremo, Ar de Filmes, Este - Estação Teatral, Companhia de João Garcia Miguel, Mala Voadora, Comédias do Minho, Teatro da Rainha são outras companhias apoiadas.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.