Deslocalização de estúdio da rádio da Madeira para os Açores é "retrocesso"

Deslocalização de estúdio da rádio da Madeira para os Açores é "retrocesso"

 

AO/Lusa   Regional   22 de Mai de 2016, 16:06

O Sindicato do Jornalistas da Madeira considerou hoje que a eventual transferência de um dos estúdios da rádio do centro da RTP do arquipélago para os Açores "representa um retrocesso tecnológico", que afeta a produtividade da informação na região.

 

“A eventual saída do estúdio 5, para os Açores, representa para o Sindicato e para os jornalistas da RDP-Madeira um retrocesso tecnológico pois os profissionais da rádio pública terão de contar com a presença imprescindível do técnico e a produtividade diária da informação ficará afetada”, pode ler-se no comunicado hoje distribuído pela estrutura regional representativa dos jornalistas no arquipélago.

Esta questão relacionada com um dos estúdios da rádio no edifício da RTP-Madeira foi suscitada na passada quarta-feira, durante o plenário da Assembleia Legislativa da região, pelo líder parlamentar do CDS/PP-M, Rui Barreto, o qual afirmou que o conselho de administração pretendia desmantelar o estúdio nas instalações do centro regional no arquipélago, o que motivou o “repúdio” dos deputados de várias bancadas.

A Lusa questionou a RTP, que respondeu existir “uma sobre capacidade de instalações” para as necessidades da atividade do Centro Regional da Madeira, assegurando que vai proceder a “um projeto de adequação” do imóvel.

Na mesma resposta escrita, acrescentou ter “um plano de investimentos de remodelação e reequipamento tecnológico para a rádio e televisão na Madeira, acrescentando que “as eventuais medidas de gestão a adotar terão sempre em conta a garantia da emissão e produção, quer ao nível da rádio, quer da televisão“ na região.

Hoje, a direção regional da Madeira do Sindicato dos jornalistas diz estar a “acompanhar com preocupação a decisão do grupo RTP de deslocalizar o estúdio 5 da RDP-Madeira para os Açores”.

Declarando não pretender “imiscuir-se nas decisões de gestão dos recursos humanos e materiais do grupo RTP e solidarizando-se com a falta de meios dos profissionais da rádio dos Açores”, o sindicato lamenta que a situação não tenha sido oficialmente comunicada aos trabalhadores do Centro Regional da Madeira.

No mesmo documento, menciona que o estúdio em causa dispõe de um equipamento digital que é “o mais utilizado diariamente pelos jornalistas, para a gravação de trabalhos da informação e de programas.

A direção regional desta estrutura sindical considera que, com esta decisão, “perde a diversidade informativa e, em última instância, a autonomia e a democracia pois o serviço público de rádio e televisão decorre da Lei e tem acolhimento constitucional”.

Dia 19 de maio, os deputados do PSD eleitos pela Madeira na Assembleia da República também questionaram o Governo sobre a alegada intenção do Conselho de Administração da RTP de desmantelar um estúdio da rádio para transferi-lo para os Açores, numa pergunta dirigida ao ministro a Cultura, a quem pediram um “esclarecimento cabal e urgente" sobre esta situação.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.