Descoberto aglomerado de vulcões submersos ao largo de Sydney


 

Lusa/AO Online   Internacional   13 de Jul de 2015, 07:21

Um aglomerado de vulcões submersos, com potencial para ajudar a desvendar os segredos do fundo do mar entre a Austrália e a Nova Zelândia, foi descoberto ao largo de Sydney, informaram hoje cientistas.

Os quatro vulcões inativos, que se estendem por uma área de 20 por seis quilómetros, a 4.900 metros de profundidade, foram localizados a aproximadamente 250 quilómetros da costa da maior cidade australiana.

O conjunto, que se estima que tenha 50 milhões de anos, foi encontrado no mês passado durante uma expedição científica.

Estes vulcões “vão contar parte da história de como a Nova Zelândia e a Austrália se separaram há cerca de 40-80 milhões de anos e vão agora ajudar os cientistas a direcionar a futura exploração do fundo do mar para desvendar os segredos da crosta terrestre”, afirmou Richard Arculus, especialista em vulcões da Universidade Nacional Australiana, citado pelas agências internacionais.

A descoberta foi feita durante uma expedição científica, realizada entre 03 e 18 de junho, liderada por Iain Suthers, da Universidade de Nova Gales do Sul, a qual envolveu 28 cientistas de várias universidades australianas, neozelandesa, norte-americanas e canadianas.

“Foi um tremendo sucesso”, disse Iain Suthers, referindo-se à descoberta do aglomerado de vulcões, mas também ao resultados da investigação, a qual versava as larvas das lagostas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.