Derrocadas na falésia do porto de pescas de Rabo de Peixe, Açores, preocupam moradores


 

Lusa/AO Online   Regional   12 de Jan de 2015, 16:19

O presidente da Junta de Freguesia de Rabo de Peixe, na ilha de São Miguel, Açores, disse hoje que têm ocorrido derrocadas "quase diárias" na falésia junto ao porto de pescas local.

 

"A queda da falésia está a preocupar a população em geral e, sobretudo, as pessoas que moram junto da Rua de São Sebastião, uma vez que se assiste quase diariamente a uma ou outra queda naquela parte da falésia, o que a nós, enquanto autarquia, também nos preocupa imenso", afirmou Jaime Vieira, presidente da Junta de Freguesia de Rabo de Peixe, concelho da Ribeira Grande.

Segundo o autarca, a zona mais afetada tem cerca de 200 metros e há já "fendas" em garagens, o que tem causado preocupação à população que reside perto daquele local.

"A zona mais afetada é uma zona de garagens onde as pessoas guardam as suas ferramentas do dia-a-dia, algumas delas também têm lá dentro uma ou outra viatura e também é uma zona muito próxima à esquadra da PSP. Agora toda a população da Avenida de São Sebastião está preocupada também com aquilo que também poderá acontecer", disse Jaime Vieira à agência Lusa.

As queixas que têm chegado à autarquia culpam as obras de ampliação, reordenamento e beneficiação do porto de pescas de Rabo de Peixe, que foram inauguradas pelo Governo Regional dos Açores no mês passado.

"Os relatos que nos chegam apontam para uma certa derivação da ondulação que bate mais fortemente sobre a encosta, mas o que estamos a dizer é senso comum, não existe ainda um veredito oficial por parte do Governo Regional. No entanto, aquilo que nos parece é que toda esta nova dinâmica relativamente àquela rocha foi desencadeada depois das obras, o que pode indiciar que foi realmente depois da construção do porto de pescas", admitiu.

Esta teoria não é confirmada pelo diretor regional dos Assuntos do Mar, Filipe Porteiro, que invoca outras causas para o sucedido, apesar de ainda não ter na sua posse a peritagem feita ao local na semana passada por técnicos do Laboratório Regional de Engenharia Civil e da Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia.

"Segundo opinião dos técnicos, não tem a ver diretamente com as obras do porto de pescas de Rabo de Peixe. Portanto, há ali saídas de águas pluviais e pensa-se que esses canais de escoamento de águas pluviais poderão ter acelerado um pouco a erosão costeira naquele local", sublinhou Filipe Porteiro.

O governante assegurou que as autoridades vão "reagir e agir perante as recomendações" do relatório de peritagem, que espera ter em sua posse "a muito breve trecho".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.