Acidente

Derrocada na Ferraria destrói parede de escalada mas não afecta banhos

Derrocada na Ferraria destrói parede de escalada mas não afecta banhos

 

Rui Jorge Cabral   Regional   16 de Jul de 2010, 10:42

Uma derrocada na Ferraria na passada quarta-feira destruiu a parede de escalada que ali existia, mas não pôs em risco, nem o recém-recuperado edifício das termas, nem a zona balnear, que fica aliás no lado oposto àquele em que ocorreu a derrocada.
Segundo afirmou ao Açoriano Oriental o presidente da Junta de Freguesia dos Ginetes, João Paulo Medeiros, “há acumulação de rochas no local, mas que não oferecem qualquer perigo nem impedem o acesso à Ferraria”.

No entanto, o autarca já enviou um e-mail com fotografias a dar conta do sucedido para as secretarias regionais da Economia e do Ambiente, que tutelam aquele espaço, “para que possam actuar naquela zona e repor a normalidade o mais depressa possível”.

A derrocada fez, no entanto, adiar uma acção de formação em escalada que para ali estava prevista nos próximos dias, ministrada pelo CALAG e pelo Clube Desportivo da Escola Roberto Ivens.

Para além dos praticantes de escalada, a zona poente da Ferraria, onde houve a derrocada, é apenas frequentada por alguns pescadores.

João Paulo Medeiros lembra que, apesar da altura das encostas da Ferraria, têm sido raras as derrocadas importantes naquele local.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.