Deputado do PCP/Açores afirma que Santa Maria continua uma "ilha adiada"

Deputado do PCP/Açores afirma que Santa Maria continua uma "ilha adiada"

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Jan de 2016, 18:25

O deputado do PCP no parlamento dos Açores, Aníbal Pires, considerou hoje que Santa Maria continua a ser, infelizmente, uma "ilha adiada".

No final de uma visita à ilha, que teve início na terça-feira, o também líder comunista nos Açores referiu que existem “múltiplos projetos e obras necessários que continuam, ano após ano, sem serem concretizados”, havendo promessas e compromissos que “transitam de ciclo em ciclo eleitoral”.

“Existem ações e projetos aprovados pela Assembleia Legislativa Regional que continuam sem prazos de execução à vista. Promessas e compromissos adiados a coberto de razões avulsas ou de conjuntura que só encontram explicação numa estratégia de adiamentos sucessivos, de demoras inexplicáveis, de negação do direito ao desenvolvimento sustentável, que prejudica objetivamente Santa Maria e os marienses”, declarou o parlamentar, citado numa nota de imprensa.

Sobre o plano de requalificação e ordenamento da zona envolvente do aeroporto de Santa Maria, cuja elaboração foi aprovada no parlamento regional por proposta do PCP, Aníbal Pires afirmou que “continua a ser necessário e urgente” um programa abrangente que defina as responsabilidades das diversas entidades, estabeleça regras objetivas para o uso dos solos e, sobretudo, dê “respostas claras” às preocupações dos moradores em relação ao futuro das suas habitações.

“Não é admissível que o Governo pretenda iniciar, a médio prazo, intervenções no terreno e alienações de habitações, de forma casuística, arbitrária e sem regras, sem que este plano esteja discutido e aprovado, sob pena de se criarem falsas expetativas aos moradores e a potenciais interessados”, defendeu o deputado.

Aníbal Pires refere que o Cine-Atlântida, depois de muitas promessas e da aprovação pelo parlamento regional de uma proposta do PCP determinando a sua recuperação, “continua a degradar-se”, o mesmo acontecendo com a antiga torre de controlo do aeroporto.

O dirigente comunista preconizou que são necessárias obras na falésia da baía da Maia, onde a instabilidade provocada pela erosão costeira “continua a pôr em risco a segurança de pessoas e habitações”.

O dirigente comunista responsabiliza o Governo Regional pelo atraso do ecocentro, que é considerado um “equipamento essencial” para a modernização do sistema de recolha, triagem e tratamento dos resíduos na ilha.

A falta de vigilância marítima, nomeadamente de áreas protegidas, está a colocar em causa, segundo o parlamentar, ecossistemas “únicos e frágeis” que devem ser protegidos, a sustentabilidade da pesca e a qualidade do turismo ambiental.

Em relação ao setor turístico, o PCP considera que se “confirmam” os seus alertas sobre o crescimento do número de turistas não ter beneficiado todas as ilhas, o que “recoloca a necessidade e a importância” da sua proposta para criar uma ligação marítima, durante todo o ano, com capacidade de transporte de passageiros, veículos e carga entre São Miguel e Santa Maria.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.