Demência parece estar a estabilizar nalguns países

Demência parece estar a estabilizar nalguns países

 

Lusa/AO online   Ciência   21 de Ago de 2015, 11:49

A ocorrência de demência, incluindo Alzheimer, parece estar a estabilizar nas nações mais ricas.

 

Dados da Suécia, Holanda, Reino Unido e Espanha mostram que a percentagem de população com demência - um termo que abrange as doenças neurodegenerativas do cérebro -- se encontra estável, bem como o número de novos casos, indica o estudo publicado na revista The Lancet Neurology.

Investigadores liderados por Carol Brayne, professora no Instituto de Saúde Pública da Universidade de Cambridge, compararam a ocorrência de demência em pessoas idosas em dois períodos diferentes nas últimas décadas.

Encontraram poucas diferenças nos dois períodos e num caso, até uma pequena diminuição, na percentagem de população afetada.

Esta tendência pode ser o resultado de melhores condições de vida e educação, bem como melhorias no tratamento e prevenção de doenças vasculares que levam a enfartes e paragens cardíacas, dizem os investigadores.

Se confirmadas, as conclusões deste estudo representam boas notícias e sugerem que a iminente "epidemia da demência" -- maioritariamente devido a uma população envelhecida -- pode ser menos severa do que se receava.

Estas conclusões são, no entanto, contestadas por outros especialistas.

Aproximadamente 7% das pessoas com mais de 65 anos sofre de algum tipo de demência -- essa percentagem sobe para 40% aos 80 ou 85 anos, de acordo com diferentes estimativas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.