Delegado de saúde suspende parcialmente intimação à Santa Casa de Ponta Delgada

Delegado de saúde suspende parcialmente intimação à Santa Casa de Ponta Delgada

 

LUSA/AO online   Regional   24 de Out de 2016, 19:59

O delegado de saúde de Ponta Delgada declarou hoje que vai revogar parcialmente o despacho de intimação da Santa Casa da Misericórdia local por estarem já garantidas as condições para a instituição continuar a prestar cuidados continuados

Paulo Margato, que falava em conferência de imprensa, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, declarou que “perante as diligências e o comprometimento” da Santa Casa, e “reconhecendo-se o esforço da instituição em cumprir, agora, as medidas de salubridade, higiene e segurança”, estão asseguradas as “condições necessárias” para a continuidade de prestação de cuidados.

O delegado de saúde referiu que foi realizada uma vistoria urgente, a pedido da Santa Casa, concluindo-se que estão assim “ultrapassadas as inconformidades que determinaram o mandado de intimação”.

“Atendendo ao anunciado anteriormente, e tendo em conta sobretudo os utentes, a sua dignidade e bem-estar, na qualidade de delegado de saúde procederei à revogação parcial do despacho de intimação, no que respeita à transferência, no prazo de cinco dias, dos utentes”, disse.

Paulo Margato revelou, por outro lado, que será constituída uma equipa multidisciplinar sob a orientação do delegado de saúde que terá funções de supervisão da implementação da “correção das irregularidades”.

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, nos Açores, manifestou-se no sábado convencido de que seria viável manter a funcionar o serviço de cuidados continuados, apesar de o delegado de saúde concelhio ter mandado encerrar a valência.

“Já foram corrigidas várias situações que estavam indicadas” referiu José Francisco Silva, em conferência de imprensa, acrescentando que a Santa Casa tem estado a trabalhar em “colaboração estreita com a Delegação de Saúde de Ponta Delgada e outras entidades oficiais no sentido de se conseguir preservar o bem-estar” de 45 utentes, com uma média etária de 80 anos.

Na sequência de denúncias anónimas, o edifício sede da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada - que acolhe, entre outros serviços, os cuidados continuados e o lar São Francisco - recebeu, na passada semana, uma vistoria do delegado de saúde concelhio, que identificou várias anomalias e mandou encerrar o serviço até 27 de outubro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.