Delegação da ilha Terceira da RTP/Açores transfere-se para a Praia da Vitória dentro de um mês

Delegação da ilha Terceira da RTP/Açores transfere-se para a Praia da Vitória dentro de um mês

 

LUSA/AO online   Regional   2 de Ago de 2016, 18:42

A delegação da ilha Terceira da RTP/Açores deverá transferir-se para a cidade da Praia da Vitória, dentro de um mês, para um edifício cedido pela autarquia

"Já temos o equipamento mobiliário na Terceira e vai ser trazido depois de amanhã para as instalações. O equipamento técnico virá até 12 de agosto. A seguir teremos a montagem desse equipamento e a formação aos trabalhadores. Estamos com a previsão de começar a emissão entre 28 de agosto e a primeira semana de setembro", disse, em declarações aos jornalistas, Lorina Bernardo, diretora da RTP/Açores, à margem da cerimónia de entrega das instalações.

A delegação da ilha Terceira da rádio e televisão públicas está localizada atualmente em Angra do Heroísmo, o concelho mais populoso da ilha, numa habitação arrendada, que necessitava de obras.

Em 2011, a RTP assinou um protocolo com a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo com vista à cedência de uma antiga escola primária para a instalação da delegação, mas a transferência não chegou a efetuar-se, tendo a empresa assinado, em outubro de 2015, um protocolo no mesmo sentido com a autarquia da Praia da Vitória.

Antes de entregar hoje as chaves das instalações à RTP, a câmara municipal realizou obras na antiga escola primária, num montante global de 300 mil euros, mas, segundo o autarca, já estava previsto um investimento de 180 mil euros.

"Cerca de 65% das obras estavam previstas por natureza. Tinha a ver com intervenções na cobertura e de recuperação deste património", frisou Roberto Monteiro.

O protocolo prevê que a empresa se transfira para as novas instalações num prazo máximo de seis meses, caso contrário terá de indemnizar a autarquia pelo investimento realizado.

A cedência das instalações é gratuita e o protocolo não refere contrapartidas quantificáveis por parte da RTP, ficando a empresa responsável pelo investimento em equipamentos e tecnologia.

Segundo Roberto Monteiro, no entanto, o documento assinado entre as duas entidades não permite qualquer tipo de favorecimento do órgão de comunicação social à autarquia, até porque abrangerá as próximas quatro legislaturas.

"Eu estou a um ano do fim do meu mandato e por razões legais não posso continuar. Este acordo assenta num contrato que tem um período longo e que impede de forma legal e formal qualquer tipo de pressão de futuras câmaras da Praia sobre administrações ou sobre técnicos da RTP relativamente à utilização e à cedência deste espaço", frisou.

O autarca justificou o investimento com a estratégia de deslocalizar serviços para o centro histórico da cidade, com o reforço da ligação entre a RTP e a Escola Profissional da Praia da Vitória e com a rentabilização dos meios existentes na Academia da Juventude e das Artes da Ilha Terceira e do Auditório do Ramo Grande, que também serão utilizados pela RTP.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.