Defesa dos consumidores avança com processo contra Volkswagen

Defesa dos consumidores avança com processo contra Volkswagen

 

Lusa/AO Online   Nacional   2 de Nov de 2016, 10:41

A associação portuguesa para a defesa dos consumidores (Deco) avançou com um processo judicial contra a Volkswagen, na sequência do escândalo das emissões poluentes nos veículos a gasóleo da marca automóvel alemã, confirmou hoje fonte da associação.

 

A notícia do processo contra a Volkswagen foi hoje avançada pelo diário i e confirmada à agência Lusa pelo responsável da Deco Bruno Santos.

"Avançámos devido à diferença insuportável de tratamento entre consumidores europeus e norte-americanos", afirmou Bruno Santos, lembrando que para os consumidores norte-americanos a Volkswagen "disponibilizou já dez mil milhões de dólares [cerca de nove mil milhões de euros] para compensações diretas pelos danos causados pela fraude que provocou".

Em relação à intervenção técnica para corrigir o problema, a Deco afirmou ser "absolutamente ineficaz", de acordo com testes que realizou, exigindo explicações à marca por obrigar os consumidores a levar os carros às oficinas apesar de nada ficar resolvido.

"Estamos perante um processo com uma falta de transparência total", disse o mesmo responsável ao referir-se ao número de veículos já reparados em Portugal.

"Há números da própria Volkswagen que dizem estar reparados 50 mil carros, ora dizem estarem reparados dez mil e que há resolução para 26 mil. Há uma confusão muito grande", sustentou.

Bruno Santos referiu ainda o grupo de trabalho criado pelo anterior governo que, de acordo com informações do ministério da Economia, "continuará a trabalhar, mas não se vê nada desse trabalho desde o relatório preliminar", publicado entre novembro do ano passado e janeiro deste ano.

"Os consumidores que foram enganados são claramente o elo mais fraco desta confusão e a marca alemã deve tratar os consumidores da mesma maneira. Não há consumidores de primeira e de segunda, e os consumidores europeus têm que ser compensados pela fraude sofrida e deliberada da Volkswagen", concluiu.

A Deco apresentou a ação contra o fabricante alemão, a SIVA (importador português das marcas Volkswagen, Audi e Skoda), a SEAT e a Volkswagen espanhola.

Do universo de marcas que representa (Volkswagen, Audi e Skoda), a SIVA pensa existirem cerca de 102 mil veículos portugueses afetados.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.