Deco quer retirar do mercado algumas pinturas faciais que crianças usam no Carnaval

Deco quer retirar do mercado algumas pinturas faciais que crianças usam no Carnaval

 

Lusa/AO Online   Nacional   20 de Fev de 2017, 07:39

A associação de defesa do consumidor Deco revelou que há pinturas faciais para crianças à venda com ingredientes desaconselhados para a saúde e vai denunciar a ausência de lista de ingredientes nestes produtos à Autoridade do Medicamento.

 

De acordo com a Deco, numa amostra de nove produtos de maquilhagem para crianças usados no Carnaval, todos incluíam ingredientes desaconselhados para a saúde ou desrespeitavam as regras de rotulagem.

Na visita feita a algumas lojas entre os dias 10 e 13 deste mês, a Deco verificou que a lista de ingredientes obrigatória nestes produtos, por poderem conter químicos capazes de causar reações alérgicas e irritações em peles mais sensíveis, não estava indicada na embalagem de alguns deles.

“Ainda não havia muita oferta, nomeadamente nos supermercados. A pesquisa não foi exaustiva, mas reunimos uma amostra de nove produtos que não cumprem os nossos requisitos, por conterem ingredientes suspeitos de provocar doenças. Além disso, três [dos nove] não incluíam a lista de ingredientes, o que viola a lei”, refere a Deco numa nota disponível no seu ‘site’ na internet, sublinhando que vai denunciar o caso ao Infarmed para que os produtos sejam retirados do mercado.

“Se há suspeitas sobre a segurança dos ingredientes, porque são usados nos cosméticos”, questiona a Deco, que frisa que “ainda não existem estudos que comprovem de forma inequívoca os efeitos negativos dessas substâncias”.

Além disso, insiste, “vários fatores influenciam o impacto desses ingredientes na saúde, como o grau de exposição, de absorção ou até a sua formulação química”.

“Até que os estudos eliminem todas as dúvidas sobre a segurança de tais substâncias, seguimos o princípio da precaução. Para diminuir possíveis impactos negativos na saúde, desaconselhamos o uso de cosméticos com estes ingredientes, principalmente em crianças (em que a taxa de absorção pode ser maior) e em produtos que ficam na pele (o que contribui para uma maior absorção)”, acrescenta.

Como exemplo de ingredientes desaconselhados nas pinturas faciais a Deco aponta os parabenos Propyl e Buthylparaben, usados como conservantes em cosméticos e em produtos de higiene corporal.

"Suspeita-se que alguns atuem como desreguladores endócrinos e contribuam para o aparecimento de problemas hormonais e doenças, como diabetes e infertilidade", recorda a Deco.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.