Deco apela para que Governo peça indemnização à Volkswagen por danos ambientais

Deco apela para que Governo peça indemnização à Volkswagen por danos ambientais

 

Lusa/AO online   Economia   7 de Jul de 2016, 14:14

A Deco apelou para que o Ministério do Ambiente quantifique os danos ambientais causados pelos veículos Volkswagen com emissões manipuladas e exija a respetiva indemnização, à semelhança do que aconteceu nos EUA.

 

“Há um tratamento desigual entre consumidores americanos e europeus. Nos Estados Unidos, a Volkswagen vai desembolsar 10 mil milhões de dólares para compensar os consumidores enganados. Em Portugal foram afetados 125 mil proprietários e não está prevista qualquer compensação”, criticou Bruno Santos, da associação de defesa dos consumidores Deco/Proteste.

Nos Estados Unidos, as autoridades locais não aceitaram o mero pedido de desculpas dos responsáveis da marca alemã e firmaram com acordo, há pouco mais de uma semana, em 28 de junho, para resolver o escândalo das emissões ilegais dos motores a diesel da Volkswagen que vai custar à marca alemã 14,7 milhões de dólares.

“Aqui na Europa parece que somos parentes pobres, que não comprámos os mesmos carros ou não fomos enganados da mesma maneira [que os norte-americanos]”, afirmou Bruno Santos, condenando a gestão “tranquila” da marca alemã na Europa.

Face às instituições europeias, acrescenta aquele responsável, a Volkswagen "geriu este processo como se nada tivesse acontecido, como se não tivesse deliberadamente enganado, quer as autoridades públicas, quer os consumidores europeus”.

A associação diz que vai questionar os ministérios da Economia e do Ambiente “com caráter de urgência” relativamente a este problema, e acrescenta que ainda “acredita francamente” que a marca alemã sabe que os consumidores europeus não podem ser discriminados desta “forma absurda” e que, por sua iniciativa, os vais indemnizar.

“Por tudo isto, fazemos um último apelo público à Volkswagen para que emende o caminho tomado na Europa e que trate igualmente todos os consumidores, sejam americanos ou europeus”, afirma a associação, ameaçando que, se tal não acontecer, vai definir novos caminhos de ação.

O acordo anunciado pela VW está dividido em duas partes: a primeira, avaliada em 10.033 milhões de dólares, refere-se à compensação que receberão os 475.000 proprietários de veículos Volkswagen e Audi equipados com motores diesel 2.0L TDI, que ainda circulam nos Estados Unidos.

Para os consumidores que optem pela recompra, está destinado um montante entre 12.500 e 44.000 dólares, dependendo do modelo de veículo, ano de produção, quilometragem e lugar de compra.

Em finais de junho, na véspera do anúncio do acordo da marca alemã com os norte-americanos, a Organização Europeia do Consumidor reclamou à Volkswagen a atribuição aos proprietários europeus das mesmas indemnizações acordadas com os norte-americanos.

"Os consumidores da União Europeia foram enganados da mesma forma que os condutores norte-americanos e, portanto, merecem o mesmo tratamento”, afirmou, em comunicado, a associação que reúne 40 organizações de consumidores do continente europeu.

Em 18 de setembro de 2015 foram conhecidos publicamente os resultados de testes a emissões poluentes de viaturas equipadas com motores 'diesel' do grupo Volkswagen, relativamente às marcas Volkswagen, Audi, Seat e Sköda, concluindo-se pela existência de viaturas equipadas com um dispositivo que permite a manipulação de informação relativa a emissões poluentes.

O grupo alemão admitiu a existência de 11 milhões de carros nestas circunstâncias, e em Portugal, de acordo com informação divulgada pela SIVA, estima-se que existam cerca de 94 mil viaturas afetadas, mais 23 mil da marca Seat, totalizando 117 mil veículos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.