David Cronenberg preside ao júri do Lisbon & Sintra Film Festival


 

Lusa/AO online   Cultura e Social   30 de Out de 2017, 17:27

Os realizadores David Cronenberg e Abel Ferrara, o encenador Peter Brook, o escritor Enrique Vila-Matas e o pianista Stephen Kovacevich vão estar em novembro em Portugal no Lisbon & Sintra Film Festival (LEFFEST), hoje anunciado.


Depois de dez edições repartido entre Lisboa e o Estoril, o festival faz agora uma parceria dos espaços culturais da capital com os de Sintra entre os dias 17 e 26 de novembro.

Apesar de ter habitualmente uma programação com teatro, artes plásticas e música, o LEFFEST é sobretudo um festival de cinema, como afirmou o diretor, Paulo Branco.

Estão previstas várias antestreias, como "I love you Daddy", de Louis C.K., "Molly's Game", de Aaron Sorkin, "Wonder Wheel", de Woody Allen, "The Devil and Father Amorth", de William Friedkin, e "On body and soul", de Ildikó Enyedi, todos fora de competição.

Na competição, cujo júri é presidido por Cronenberg, estão 13 filmes, como "Les gardiennes", de Xavier Beauvois, "Frost", de Sharunas Bartas, e "Western", de Valeska Grisebach, todos com as presenças dos realizadores.

Na competição estará também "Verão danado", de Pedro Cabeleira.

Na apresentação da programação, Paulo Branco sublinhou que este "não é festival de passadeira vermelha", mas sim um festival "para os convidados estarem com o público", sem que se trate de "um desfile".

"O festival faz a ponte entre os grandes artistas e os espectadores", referiu o produtor.

Ainda assim, entre os cerca de 90 convidados estão nomes como Abdellatif Kechiche, que apresentará o filme "Mektoub, my love: Canto uno", Julian Schnabel, Abel Ferrara e Isabelle Huppert, que serão alvo de retrospetivas, o pianista Stephen Kovacevich, que atuará no Palácio Nacional de Queluz, e os atores Robert Pattinson e Willem Dafoe.

Da programação, destaque ainda para as retrospetivas dos realizadores portugueses João Mário Grilo e José Vieira, outra que será dedicada ao cineasta Alain Tanner, e duas representações do espetáculo "Battlefield", de Peter Brook e Marie-Hélène Estienne, no Teatro Nacional D. Maria II.

Está previsto ainda um recital no Palácio da Vila de Sintra com a interpretação de música e poemas de Paul Bowles pela pianista Irene Herrmann, pela soprano Carole Blankenship e pelo barítono Mário Redondo e uma conferência conjunta do escritor espanhol Enrique Vila-Matas com a artista francesa Dominique Gonzalez-Foerster.

A propósito dos cem anos da Revolução Russa haverá um debate sobre poetas russos, com Nina Guerra e Filipe Guerra.

O simpósio anual do festival, este ano no Centro Olga Cadaval (Sintra), será dedicado à relação entre a arte e a subversão, com curadoria de Marie-Laure Bernadac, conservadora honorária do Museu do Louvre, e Bernard Marcadé, crítico de arte.

A organização já tinha anunciado antes a realização de uma exposição de fotografia dedicada a Isabelle Huppert, no Museu das Artes de Sintra (MU.SA).

Sobre a dinâmica entre Lisboa e Sintra, Paulo Branco explicou que a programação será "eclética nas duas cidades", com encontros dos artistas com o público e exibição dos filmes de competição tanto num local como noutro.

O orçamento é de cerca de 500 mil euros, apoiado pelas autarquias de Sintra e Lisboa, e pelo Instituto do Cinema e Audiovisual.

Os bilhetes serão colocados à venda a 03 de novembro.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.