Cruz Vermelha "profundamente alarmada" com situação em Alepo

Cruz Vermelha "profundamente alarmada" com situação em Alepo

 

Lusa/AO online   Internacional   19 de Fev de 2016, 14:17

O Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) declarou-se "profundamente alarmado" pela situação na província de Alepo, norte da Síria, onde os combatentes obrigaram dezenas de milhares de pessoas a fugir.

Segundo a organização, em Alepo “os combates intensificam-se, hospitais e profissionais de saúde são visados, as pessoas não têm água nem eletricidade e mais de 70.000 já fugiram de suas casas”.

“As infraestruturas mais básicas de apoio à vida das pessoas sofreram danos críticos, agravando dramaticamente a situação da população, com o número de pessoas recém-deslocadas a aumentar de dia para dia”, afirmou a chefe da delegação da Cruz Vermelha na Síria, Marianne Gasser.

As forças do regime sírio, apoiadas pela aviação russa, têm em curso uma ofensiva militar em Alepo para recuperar território sob controlo de grupos da oposição.

A ofensiva permitiu recuperar terreno no norte da cidade de Alepo, deixando cerca de 300.000 civis cercados na zona leste da cidade, controlada pelos rebeldes, e levando dezenas de milhares de pessoas a fugir para norte.

Simultaneamente, forças curdas lançaram uma ofensiva contra rebeldes mais a norte, na mesma província, desencadeando bombardeamentos por parte da Turquia e agravando a situação em Alepo.

A Cruz Vermelha instou todas as partes em conflito a evitarem ataques a instalações médicas e infraestruturas civis, incluindo estações de tratamento de águas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.