Cristas desvaloriza polémica na escolha da cabeça de lista por São Miguel

Cristas desvaloriza polémica na escolha da cabeça de lista por São Miguel

 

Lusa/AO online   Regional   28 de Jun de 2016, 18:12

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, desvalorizou a polémica em torno da escolha da cabeça de lista pelo círculo de São Miguel às próximas eleições regionais dos Açores, considerando que o partido não tem nada a perder.

"O caminho é em frente, o CDS neste momento não tem um deputado eleito por São Miguel e, portanto, eu diria que nós não temos nada a perder, temos tudo a ganhar", afirmou Assunção Cristas, no concelho da Ribeira Grande, onde hoje visitou uma fábrica de conservas, acompanhada, entre outros, pela candidata do partido por São Miguel, Ana Afonso.

A presidente do CDS-PP disse acreditar que "gente nova, gente que vem de fora, gente que não precisa da política para viver, mas que quer ajudar a política porque acha que a atividade política em prol de todos é uma atividade nobre só pode ajudar o CDS a crescer".

A 14 de junho, o CDS-PP anunciou que a cabeça de lista pelo círculo de São Miguel às eleições regionais dos Açores é Ana Afonso, tendo chumbado o nome proposto pela Comissão Política de Ilha, Nuno Barata.

Citado numa nota de imprensa, o líder do CDS-PP/Açores, Artur Lima, explicou que o presidente da Comissão Política de Ilha (CPI), Nuno Barata, "tinha-se comprometido com a Comissão Política Regional, com o presidente regional e com a presidente nacional do partido a encontrar uma personalidade independente para encabeçar a lista de São Miguel".

Na mesma nota, Artur Lima dava conta que Nuno Barata "faltou ao combinado e ao acordado", pelo que "a Comissão Diretiva Regional decidiu, por maioria", não apoiar aquela candidatura.

Na semana seguinte, a CPI considerou "abusiva e descabida" a "inadmissível ingerência" da Comissão Diretiva Regional, com Nuno Barata a informar que não apoiará qualquer lista encabeçada por qualquer outra pessoa, nem integrará a mesma.

Hoje, questionada sobre se vai tentar intervir no sentido de minimizar o mal-estar na CPI, dado que vai reunir com militantes, Assunção Cristas confirmou ter conhecimento que este organismo não vai estar presente no encontro, para o qual foram convidados todos os militantes.

"A CPI de São Miguel não está confortável com esta solução, isto são coisas próprias da vida dos partidos", comentou, destacando que o importante é ajudar os candidatos em todas as ilhas "a poderem ter um bom trabalho junto das populações e a representarem cabalmente" os interesses desta.

Assunção Cristas acrescentou que "o CDS está a renovar, tem uma nova liderança nacional e tem certamente nesta liderança a preocupação de trazer mais gente, alargar o partido a todos os níveis, chamando independentes, chamando novos militantes e é isso que está a acontecer por todo o país e, também, aqui em São Miguel", adiantou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.