Criminalidade violenta e grave desceu 9% no primeiro semestre do ano

Criminalidade violenta e grave desceu 9% no primeiro semestre do ano

 

Lusa/AO online   Nacional   7 de Nov de 2012, 14:30

A criminalidade violenta e grave desceu nove por cento no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2011, tendo as forças de segurança registado menos 1080 casos.

O Gabinete Coordenador de Segurança (GCS) adianta que a criminalidade geral também desceu 1,1 por cento ao registar-se nos primeiros seis meses do ano, menos 2.121 casos participados às forças e serviços de segurança.

A criminalidade participada à PSP, GNR e Polícia Judiciária no primeiro semestre deste ano esteve hoje análise numa reunião do GCS, que contou com a participação dos ministros da Administração Interna, Miguel Macedo, e da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, e os secretários-gerais do Sistema de Segurança Interna e do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP), além dos responsáveis pelas forças e serviços de segurança.

Em comunicado, o GCS refere que os dados provisórios indicam uma descida para os crimes de furto de veículo motorizado (menos 1.991 casos), roubo na via pública (menos 695), roubo a farmácias (menos 14), roubo a postos de abastecimento de combustível (menos 36) e rapto, sequestro e tomada de reféns (menos 38).

No roubo por esticão foram registados menos 409 casos, roubo em transportes públicos (menos 50), furto em veículo motorizado (menos 3.104), associações criminosas (menos 13) e furto em residência (menos 1.644).

Já os crimes que mais subiram foram os de fogo posto em floresta (mais 2.560 casos), de contrafação/falsificação de moeda e passagem de moeda falsa (mais 1.445), de roubo a residência (mais 123), extorsão (mais 27), roubo a ourivesarias (mais 22) e homicídio voluntário consumado (mais 19).

O roubo em edifícios comerciais ou industriais (mais 61 casos) e condução com taxa de álcool igual ou superior a 1,2 gramas por litro (mais 1.353) foram outros crimes que subiram.

O gabinete adianta que a criminalidade aumentou no primeiro semestre nos distritos de Beja (mais 292 casos), Bragança (mais 246), Évora (mais 199), Vila Real (mais 152) e Santarém (mais 303).

Em contrapartida, a criminalidade baixou nos distritos de Braga (menos 1.605 casos), Viana do Castelo (menos 273), Leiria (menos 339), Porto (menos 853), Setúbal (menos 123) e Lisboa (menos 77).

No final da reunião, o ministro da Administração Interna afirmou aos jornalistas que “fruto do mérito do trabalho das forças e serviços de segurança os resultados são muito positivos”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.