Crianças e pessoas com deficiência no primeiro contacto com a população

Crianças e pessoas com deficiência no primeiro contacto com a população

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   12 de Mai de 2017, 17:15

O primeiro contacto do papa Francisco com a população portuguesa na sua visita apostólica decorreu com familiares de militares e funcionários da Base Aérea de Monte Real, onde aterrou, interagindo sobretudo com crianças e pessoas com deficiência.

Após o encontro com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, Francisco seguiu num carro elétrico aberto até à capela de Nossa Senhora do Ar, em ritmo lento, recebendo flores, beijando crianças e bebés que pessoas lhe iam colocavam no caminho, e abandonou mesmo a viatura para cumprimentar uma mulher idosa de cadeira de rodas.

Francisco demorou-se depois a cumprimentar crianças, algumas das quais com necessidades especiais, que beijou e tocou nas faces com as suas mãos.

Uma das crianças, uma menina com um laço azul nos cabelos, tinha dois bonecos na mão, em que o papa pegou, simulando que os dois bebés de brincar davam beijos um ao outro.

De seguida, Francisco deteve-se um pouco mais a falar a com um grupo de crianças que lhe pediram um autógrafo no livro "Querido Papa Francisco".

O papa deu somente alguns passos num tapete formado por flores preparado para a sua passagem à entrada da Capela de Nossa Senhora do Ar, junto da qual cantava o Coro dos Cadetes da Academia da Força Aérea.

Logo no início deste trajeto, Francisco já tinha ouvido outra música entoada em português, por um grupo do Colégio de Nossa Senhora de Fátima, em Leiria, cujos versos dizem ao papa: "Francisco, tu és para nós / A aurora de um tempo novo / A força da tua voz / é a esperança do teu povo".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.