Cria de cagarro nascida no Corvo pode ser acompanhada em direto 'online'

Cria de cagarro nascida no Corvo pode ser acompanhada em direto 'online'

 

Lusa/AO online   Regional   7 de Ago de 2014, 18:48

Uma cria de cagarro nasceu em julho na ilha do Corvo num ninho criado pela SPEA - Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, e os seus dias podem ser acompanhados em direto através da internet.

 Esta ave marinha é a mais recente protagonista do programa "Lua-de-mel no Corvo", que tem como objetivo acompanhar o nascimento e o crescimento dos cagarros, depois de a primeira cria ter sido comida por um gato, em 2011.

Tânia Pipa, técnica da SPEA, disse hoje esperar que, desta vez, "tudo corra bem com esta cria", recordando que os gatos são uma das maiores ameaças para os cagarros, o que já obrigou as entidades responsáveis a aplicarem medidas de controlo da natalidade daqueles animais.

Segundo a responsável, "84% da predação das crias de cagarro é efetuada por gatos" e só na ilha do Corvo (a mais pequena dos Açores) existem cerca de 160 gatos selvagens, para uma população residente de cerca de 430 pessoas.

"Como é óbvio, estes gatos produzem um efeito nefasto nas crias, que se encontram sozinhas e não têm meios de defesa", insistiu Tânia Pipa, lembrando que, em breve, estará a decorrer na ilha um programa de esterilização dos gatos domésticos e, mais tarde, também dos gatos selvagens.

Esta foi uma ação prioritária durante o Projeto LIFE "Ilhas Santuário para as aves marinhas", considerado um dos melhores de 2013 pela Comissão Europeia, e no qual estão também envolvidos a SPEA, a Direção Regional dos Assuntos do Mar, o Parque Natural de Ilha do Corvo e o Serviço de Desenvolvimento Agrário das Flores e do Corvo.

A cria nascida em julho pode ser acompanhada em direto através do endereço eletrónico http://cagarro.spea.pt/, que desde o nascimento do cagarro já teve mais de 1.600 visitantes, um número ainda longe das 27 mil pessoas que conheceram 'online' a outra cria.

De acordo com as visualizações feitas até agora, a cria só esteve acompanhada nos primeiros dias, tendo até à data recebido a visita regular dos progenitores apenas para a alimentar.

A cria continuará a ser alimentada nos próximos 90 dias até estar pronta para voar e rumar às costas brasileiras e sul-africanas, onde passará o inverno, prevendo-se que só regresse ao Corvo dentro de seis/sete anos para nidificar.

A "Lua-de-mel no Corvo" é uma parceria entre a SPEA, a Portugal Telecom, a Câmara Municipal do Corvo e o Governo dos Açores e e visa contribuir para a preservação das aves marinhas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.