Cresce operação sazonal da empresa de transporte marítimo de passageiros nos Açores

Cresce operação sazonal da empresa de transporte marítimo de passageiros nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Set de 2016, 19:12

A operação sazonal da empresa pública de transporte marítimo de passageiros e viaturas nos Açores voltou a crescer após cinco anos consecutivos em queda, anunciou hoje a Atlânticoline.

Numa nota de imprensa, a Atlânticoline informa que desde 2010 que esta operação, que começou a 28 de abril e terminou na segunda-feira, perdia passageiros, conseguindo, contudo, inverter esta tendência este ano.

“Também o transporte de viaturas acompanhou este crescimento, retomando o movimento verificado em 2011, que desde então se vinha perdendo”, adianta a mesma nota.

Segundo a Atlânticoline, foram transportados neste período “mais de 61.000 passageiros e aproximadamente 12.000 viaturas, refletindo-se estes valores num aumento de 0,7% e 15%, respetivamente”, quando comparado com igual período do ano passado.

“Relativamente ao número de viagens efetivamente realizadas, estas totalizam 544 viagens (mais nove do que aquelas que estavam inicialmente previstas) e mais 50 viagens comparativamente com a operação de 2015”, esclarece a empresa, que confirma um “crescimento do número de toques em todas as ilhas”.

Quanto aos cancelamentos, contrariando os 24 registados no ano passado, “nesta operação de 2016 apenas se verificou o cancelamento de uma viagem”, situação que fez diminuir o número de reclamações, passando de 56 para “apenas 20 exposições oficialmente rececionadas” nos serviços.

A Atlânticoline acrescenta que os destinos com maior procura foram as ilhas de São Miguel (27%) e Terceira (24%), sendo Faial (4%) e Flores (2%) as de menor procura nesta operação, realizada com recurso ao fretamento de dois navios, “Paraguana I” e “Express Santorini”.

Ainda assim, relativamente aos destinos em que se registou um aumento da procura em 2016, comparativamente com 2015, “destaca-se a ilha das Flores com um aumento de 22%, seguida da ilha de São Jorge com mais 10%”.

“Em sentido inverso, verificou-se uma diminuição na procura da ilha do Faial, com um decréscimo de 11% comparativamente com 2015, seguida da ilha da Graciosa, que também registou uma diminuição da procura em 5%”, refere a Atlânticoline.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.