Crédito em mínimos de oito anos mas novos empréstimos ao consumo recuperam

Crédito em mínimos de oito anos mas novos empréstimos ao consumo recuperam

 

Lusa/AO online   Economia   29 de Ago de 2015, 14:16

O crédito ao consumo tem vindo a recuperar e os novos financiamentos bateram máximos já este ano, apesar de o total de empréstimos dos bancos a particulares estar no nível mais baixo desde 2007.

 

No final de junho, segundo dados do Banco de Portugal, o 'stock' do crédito a particulares era de 121,663 mil milhões de euros, o valor mais baixo desde agosto de 2007. Apenas face a maio, a queda foi de 513 milhões de euros.

Por setor, o crédito à habitação fixou-se em 99,984 mil milhões de euros, também o valor mais baixo em oito anos, e os 9.817 milhões de euros dos empréstimos para outros fins representaram mínimos desde 2004.

O único setor que contrariou esta tendência foi o crédito ao consumo, que desde o mínimo de 11,762 mil milhões de euros, registado em maio de 2014, tem estado a recuperar, ainda que com altos e baixos. Em junho, o 'stock' total de crédito ao consumo era de 11.962 milhões de euros.

Esta recuperação no crédito ao consumo é confirmada pelos dados referentes aos novos contratos de financiamento, que indicam que os portugueses voltaram a recorrer aos bancos para comprar bens a crédito.

Segundo o Banco de Portugal, só em junho foram celebrados mais de 106 mil créditos ao consumo, num total de 409,382 milhões de euros emprestados. Este valor significa um aumento homólogo de 21,5% e mais 3% face a maio.

Cerca de um terço do dinheiro emprestado em junho foi destinado à compra de carro, no total de 150,484 milhões de euros, uns expressivos 42% acima do registado no mesmo mês de 2014.

A maior parte do financiamento ao consumo foi, no entanto, para o chamado crédito pessoal - para despesas de educação, saúde, eletrodoméstico ou viagens - com 175,962 milhões de euros, mais 14,8% em termos homólogos.

Por fim, nos empréstimos para cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias e facilidades de descoberto, foram assinados em junho contratos no valor de 82,936 milhões de euros, 6,29% acima de junho de 2014.

Os 409,3 milhões de euros de crédito ao consumo concedido pela banca em junho foram apenas superados pelos novos empréstimos celebrados em março deste ano. Nesse mês, a banca emprestou 441,915 milhões de euros só para consumo, o valor mais alto pelo menos desde 2012, segundo os dados disponibilizados pelo Banco de Portugal.

Analisando todo o primeiro semestre deste ano, os bancos a operar em Portugal concederam 2,3 mil milhões de euros em crédito ao consumo, sendo que 810 milhões foram destinado à compra de carro, o equivalente a 35% do total.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.