Costa reitera que memorando de entendimento previa venda parcial da TAP


 

AO/Lusa   Nacional   13 de Dez de 2014, 16:29

O secretário-geral do PS reiterou este sábado que o memorando de entendimento previa apenas a alienação parcial da TAP, respondendo com "factos" às críticas do PSD, e insistiu na necessidade do

 

Na sexta-feira à noite, o líder socialista, António Costa, contrariou o primeiro-ministro sobre o que diz o memorando de entendimento assinado com a 'troika' em relação à privatização da TAP, garantindo que neste apenas estava prevista a venda parcial.

Hoje, o porta-voz do PSD, Marco António Costa, acusou o secretário-geral do PS de "ligeireza e precipitação", reportando para o memorando de entendimento original onde foi assumido o "princípio da venda total" da companhia aérea.

À tarde, no Porto, em declarações à agência Lusa à margem de um encontro com o autarca Rui Moreira, António Costa respondeu “com os factos” que estão no documento do memorando original relativamente à TAP, que referem que “a alienação é parcial”.

“O PSD distribuiu a versão em inglês. Está aqui a versão em português. E diz muito simplesmente: ‘o plano tem como objetivo uma antecipação de receitas de cerca de 5,5 mil milhões de euros’ – o que já está ultrapassado – ‘apenas com alienação parcial prevista para todas as empresas de maior dimensão’”, leu.

Segundo o documento, “o Governo compromete



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.