Costa avisa que este é o momento "decisivo" de se avançar para o mercado argentino

Costa avisa que este é o momento "decisivo" de se avançar para o mercado argentino

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   13 de Jun de 2017, 18:15

O primeiro-ministro defendeu que este é o momento "decisivo" para as empresas portuguesas apostarem no mercado argentino, alegando que se perspetiva para breve um acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul.

 

António Costa falava no final da sua reunião com o Presidente da República da Argentina, Maurício Macri, a quem ofereceu uma fotografia que ambos tiraram em 2012 no "Rock in Rio", em Lisboa. Costa e Macri surgem em palco a simular estarem a tocar guitarra elétrica.

Na altura António Costa era presidente da Câmara de Lisboa e Maurício Macri presidente da capital federal argentina, Buenos Aires.

Na declaração conjunta com o Presidente argentino, em que não houve direito a perguntas por parte dos jornalistas, o primeiro-ministro apresentou Portugal e a Argentina como dois países cujas economias se encontram em processo de viragem.

"Estamos num momento muito importante de mudança económica na Argentina e em Portugal. Um momento em que as negociações entre a União Europeia e o Mercosul têm um objetivo de conclusão ambicioso até ao final deste ano", começou por referir António Costa.

Depois, o primeiro-ministro deixou um apelo ao setor empresarial, sobretudo dirigido ao português, advertindo que "este é o momento para se trabalhar já".

"Quem começa a trabalhar primeiro chega primeiro e tem melhores resultados numa ampla zona de futuro comércio livre entre Europa e Mercosul. Este é um momento em que é decisivo podermos trabalhar juntos para tirarmos o máximo partido possível das oportunidades de investimento na Argentina".

Ainda de acordo com o primeiro-ministro, este também é o momento para o setor empresarial nacional "aumentar as exportações de produtos portugueses para a Argentina e de se intensificar a complementaridade de muitas produções argentinas com portuguesas".

"Estou certo que, a partir desta visita, com a reabertura da delegação da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) e na sequência da missão empresarial que acompanhou esta visita, bem como de outras missões empresariais que já estão marcadas para breve, as relações entre os dois países vão intensificar-se", declarou o primeiro-ministro.

No final da reunião, apenas foi estabelecido um acordo de livre circulação que incide sobre programas de férias e trabalho para jovens de ambos os países.

O acordo assinado entre os governos de Lisboa e de Buenos Aires vai permitir que os jovens portugueses entre os 18 e os 30 anos possam trabalhar e estudar na Argentina por um prazo de um ano, o mesmo se aplicando aos argentinos que se desloquem e Portugal.

O Presidente da República argentino congratulou-se com "esta intensificação das relações ao nível cultural".

"Esperamos que também, a prazo, haja ligações aéreas diretas entre Portugal e a Argentina", declarou Maurício Macri, numa alusão à intenção da empresa Aerolineas Argentinas começar a fazer uma ligação direta entre Buenos Aires e Lisboa.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.